Notícias

Prémio de Jornalismo Económico abre inscrições para 11ª edição

      
Prémio de Jornalismo Económico abre inscrições para 11ª edição
Prémio de Jornalismo Económico abre inscrições para 11ª edição  |  Fonte: Universia

É jornalista e publicou, em 2016, trabalhos nas áreas de “Gestão de Empresas e Negócios”, “Mercados Financeiros” e “Sustentabilidade e Inovação Empresarial”? Então este prémio é para si. As candidaturas à 11.ª edição do Prémio de Jornalismo Económico já arrancaram e prolongam-se até ao dia 3 de maio.

O Prémio de Jornalismo Económico é uma iniciativa conjunta da Universidade NOVA de Lisboa e do Banco Santander Totta para promover a qualidade da criação jornalística, distinguindo os melhores trabalhos de imprensa escrita e eletrónica em três áreas específicas.

Para trabalhos relacionados com as múltiplas disciplinas da Gestão, os jornalistas podem concorrer na categoria de “Gestão de Empresas e Negócios”. Para os artigos que abordam os diferentes mercados financeiros e os valores mobiliários a eles associados, podem candidatar-se na categoria “Mercados Financeiros”. Já a categoria “Sustentabilidade e Inovação Empresarial”, que este ano inclui a vertente de Inovação nas Empresas, adequa-se aos trabalhos na área da gestão sustentável, inovação digital ou relações responsáveis não só com a cadeia hierárquica, mas também com a sociedade civil. A descrição pormenorizada de cada categoria está disponível no regulamento.

À 11.ª edição deste Prémio de Jornalismo Económico, cuja organização está a cargo da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa (FCSH/NOVA), podem concorrer todos os jornalistas que tenham publicado, em 2016, artigos na comunicação social (impressa ou eletrónica) numa destas áreas. Para tal devem inscrever-se no website do Prémio, em www.pje.universia.pt, até ao dia 3 de maio, e formalizar a candidatura enviando a documentação necessária, no espaço de cinco dias úteis, para o endereço premioje@fcsh.unl.pt.

O melhor trabalho concorrente às três áreas receberá o “Grande Prémio”, com um valor pecuniário de 10.000 euros, sendo igualmente o vencedor da correspondente área a que se candidatou. Os outros prémios, cada um no montante de 5.000 euros, distinguirão o melhor artigo das respetivas áreas.

Os trabalhos são avaliados por um júri composto por personalidades de reconhecido mérito ligadas ao Jornalismo, Finanças, Sustentabilidade e Gestão: Francisco Caramelo (Diretor da FCSH/NOVA), António Granado (FCSH/NOVA), José Albuquerque Tavares (NOVA/SBE), Paulo Pinho (NOVA/SBE), Helena Garrido, Sérgio Figueiredo e Conceição Zagalo.

O Presidente e Vice-Presidente do Prémio são, respetivamente, António Bensabat Rendas, Reitor da Universidade NOVA de Lisboa, e António Vieira Monteiro, Presidente da Comissão Executiva do Santander Totta.

Pedro Santos Guerreiro e Isabel Vicente, jornalistas do Expresso, foram na passada edição os vencedores do Prémio de Jornalismo Económico 2016 com o trabalho “O Diabo que nos Impariu”, tendo vencido igualmente na categoria “Gestão de Empresas e Negócios”.

Ana Pimentel, jornalista do Observador e antiga aluna da FCSH/NOVA, foi distinguida pelo trabalho “Unicórnios. Há uma bolha (tecnológica) prestes a rebentar?” na categoria “Mercados Financeiros”, enquanto Luís Pedro Costa Santos, da Aprender Magazine, assinou o artigo “Ensino Dual: Quando as empresas pagam aos jovens para estudar”, que venceu na temática de Economia e Sustentabilidade.

Leia também mais notícias sobre a Universidade Nova de Lisboa.

Quer saber mais?
Veja todas as notícias


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.