Notícias

10 Conselhos de Stephen King para escrever

      
Deixe a imaginação correr e escreva em primeiro lugar para agradar a si próprio
Deixe a imaginação correr e escreva em primeiro lugar para agradar a si próprio
  • A angústia da página em branco é natural e absolutamente necessária para quem inicia um processo criativo.
  • Todos os candidatos a escritores necessitam ler e escrever muito. Este é um requisito imprescindível.
  • “As histórias podem encontrar-se em qualquer momento e em qualquer lugar”.

No currículo Stephen King conta com mais de 50 novelas, todas best-sellers, com 350 milhões de cópias vendidas e 30 adaptações das suas obras para cinema e televisão. Quem melhor do que um autor de sucesso para dar conselhos sobre escrita?

1) Escreva para si próprio, sem se preocupar com o público

Escrever livremente e deixar o pensamento correr é a primeira regra para que seja possível chegar a um texto com que o próprio autor da escrita se identifique e de que goste. Agradar-se a si próprio e não pensar no público no momento da escrita é o segredo. Escrever deve também ser um prazer. “Se pode fazê-lo por diversão, pode fazê-lo sempre”, sublinha Stephen King. 

2) A angústia da página em branco

Stephen King explica que não se encara uma página em branco com facilidade, mas com “nervosismo, emoção, esperança ou inclusivamente desespero, com a sensação de que nunca se conseguirá transmitir o que se tem em mente e no coração”. O autor acrescenta ainda que quem se depara com uma página em branco pode ter “os punhos cerrados ou os olhos semicerrados”, estar pronto para “destruir nomes”, conquistar alguém ou mudar o mundo, mas nunca deverá encarar este momento de “ânimo leve”.

Gostavas de estudar literatura?

Procura universidades

3) Não usar a voz passiva

“Os escritores tímidos preferem a voz passiva do mesmo modo que os amantes tímidos preferem companheiros passivos. A voz passiva transmite segurança”. Mas para prender a atenção do leitor esta pode não ser a melhor opção. Stephen King aconselha os escritores a arriscar.

4) Não fique demasiado obcecado com a gramática perfeita

O objeto da ficção não é a correção gramatical, o mais importante é que os leitores se sintam bem e que o autor seja capaz de contar uma história. Chegar aos outros será sempre o mais importante.

5) Para ser escritor é necessário ler e escrever muito

Stephen King diz mesmo que é necessário dedicar de quatro a seis horas para ler e escrever. “Ler, ler e ler”. Se não tem tempo para investir neste aspeto, provavelmente não vai ter tempo para ser escritor (nem as ferramentas necessárias).

6) A arte apoia a vida 

“Coloque a sua mesa num canto da sala e cada vez que começar a escrever recorde-se porque não está no meio da sala. A vida não é um sistema de apoio para a arte. É ao contrário”, diz o autor de best-sellers.

7) “Escreva com a porta fechada e reescreva com a porta aberta.”

Significa que quando estamos a escrever devemos estar concentrados em nós mesmos, como se o texto fosse só para nós, mas depois é necessário abrir as portas, deixar que os outros entrem e aceitar críticas construtivas para melhorar o trabalho de escrita.

8) Não tenha receio de apagar  

“Experimente escrever qualquer coisa que goste, não importa o aborrecido, normal ou escandaloso que seja.” Se funciona bem, ótimo. Caso contrário, é melhor retirar. Às vezes é difícil renunciar a parágrafos, ideias, enunciados, inclusivamente palavras que na verdade não ajudam e até são inconvenientes para o texto. Não tenha receio de retirar estes elementos.

9) “As histórias podem encontrar-se em qualquer momento e em qualquer lugar”.

Não precisamos estar refugiados numa casa junto à praia para escrever ou ir viajar para encontrar motivo para escrever uma história. Por vezes a inspiração para escrever encontra-se no nosso quotidiano, é só olhar para o mundo com atenção e acreditar que somos capazes de transmitir algo aos outros.

10) Seja autêntico mesmo que isso possa parecer estranho

Nas entrevistas King assume que é uma pessoa estranha, uma caraterística que o torna único. Conseguirmos aceitar quem somos, mesmo que pareçamos uma ave rara, poderá fazer com que encontremos o nosso caminho na escrita.



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.