Notícias

Que conselhos nos ensina Harvard sobre alimentação?

      
Metade do prato deve ser ocupado por legumes e frutas, recomendam os especialistas de Harvard
Metade do prato deve ser ocupado por legumes e frutas, recomendam os especialistas de Harvard
  • O “prato saudável” da autoria de especialistas de Harvard está dividido por cores para assinalar as proporções dos alimentos.
  • O que comemos pode afetar profundamente a nossa saúde e bem-estar, sendo que apostar nas frutas e legumes é o segredo para uma alimentação saudável.
  • Limitar o consumo de carnes vermelhas e de manteiga é recomendado, bem como dos produtos lácteos.

Para uma alimentação correta, a Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard definiu um “prato saudável” que foi lançado com o objetivo de fornecer aos consumidores as informações necessárias para tomarem decisões acertadas e conscientes.

Para além disso, esta proposta de Harvard, o Healthy Eating Plate, pretende corrigir alguns dados da pirâmide alimentar desenvolvida pelos departamentos de Agricultura e Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos.

Segundo os especialistas da universidade norte-americana, esta pirâmide mistura a "ciência com influência de interesses agrícolas poderosos, o que não constitui uma receita para uma alimentação saudável".

Gostava de ser nutricionista?

Procura cursos na Universia

Um “prato saudável” é a proposta de Harvard

O guia de Harvard - lançado em 2011, mas que permanece totalmente atualizado - oferece recomendações específicas e precisas para seguir uma dieta saudável.

É representado como um prato dividido em cores, cada uma simbolizando um grupo de alimentos: vegetais, grãos integrais, proteínas e frutas. Para ter uma alimentação saudável é importante respeitar as proporções: os legumes e frutas (cores verde e vermelho, respetivamente) ocupam metade do prato.

Os especialistas de Harvard alertam que as batatas não contam para os vegetais, porque têm um efeito montanha-russa sobre os níveis de glicemia e insulina tal como o pão branco e doces.

Em consequência, quem os consome sente fome novamente a curto prazo, o que faz com que possa comer demais, provocando excesso de peso e doenças como a diabetes.

Os grãos integrais (cor castanha) preenchem um quarto do prato, mas nem todos devem ser consumidos. A ideia é que os grãos refinados sejam limitados e que se optem por outros menos processados, como o trigo e arroz integral.

Proteínas saudáveis como peixe, frango, feijão ou nozes

As proteínas (cor laranja) ocupam igualmente um quarto do prato e devem ser saudáveis, como peixe, frango, feijão ou nozes. Um ovo por dia é uma quantidade adequada para a maioria das pessoas, mas os diabéticos devem limitar a ingestão da gema a três vezes por semana.

 A carne vermelha, de porco e cordeiro deve ser limitada e os alimentos processados como queijo, fiambre, linguiça também devem ser evitados.

Usar azeite para temperar e cozinhar

No que respeita aos temperos a Healthy Eating Plate recomenda que se escolham os de origem vegetal tal como azeite, soja, milho, canola, amendoim tanto para cozinhar como à mesa e saladas. A manteiga e a gorduras trans devem ser evitadas.

No que respeita aos líquidos, o conselho é acompanhar as refeições com um copo de água ou uma chávena de chá ou café com pouco ou nenhum açúcar. Nos sumos, os especialistas em nutrição de Harvard recomendam limitá-los a um copo pequeno por dia, já que eles tendem a ser ricos em açúcar. "Evite bebidas açucaradas, na medida em que fornecem muitas calorias e nenhum outro nutriente, e com o tempo, a ingestão rotineira de bebidas açucaradas pode levar ao ganho de peso e aumentar o risco de diabetes tipo 2 e doenças cardíacas", alertam os especialistas.

Moderar os laticínios

Os laticínios também devem ser moderados, limite-os a uma ou duas porções por dia, porque a sua ingestão está associada a um risco aumentado de cancro da próstata e possivelmente dos ovários.

Estas quantidades também são indicadas para as crianças. Em alternativa, são sugeridas fontes não lácteas que incluem cálcio como o repolho, o bok choy (um vegetal parecido com acelga), o leite de soja fortificado, feijão e suplementos que contêm cálcio e vitamina D, que constitui uma opção melhor do que tomar cálcio sozinho.

Por fim, para ter uma vida saudável, os especialistas em nutrição de Harvard recomendam atividade física. "Manter-se ativo é metade do segredo do controlo de peso, a outra metade está em fazer uma dieta saudável com porções modestas que atendem às necessidades calóricas de cada pessoa", afirmam os especialistas de Harvard.



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.