Notícias

Porque é que viajar sozinho faz bem

      
Porque é que viajar sozinho faz bem
Porque é que viajar sozinho faz bem  |  Fonte: Shuuterstock

Está a pensar em viajar sozinho? Quando o assunto é aventurar-se pelo mundo sem companhia, as pessoas têm opiniões bastante diferentes. Para alguns é um sonho de consumo, o ápice da liberdade. Já para outros, a ideia parece um pouco assustadora. Se está a planear fazer uma viagem sozinho, mas ainda está a sofrer com o sentimento de ansiedade e a insegurança de não ter um amigo ou familiar por perto, veja 6 motivos para perder o medo e se lançar nessa aventura:

Sensação de liberdade
Uma das melhores coisas ao viajar sozinho é que pode fazer o que quiser, na hora que quiser. Hoje não está com muita vontade de ir a um museu? Visite o mercado municipal da cidade. Afinal, é você quem decide o seu roteiro e atividades preferidas.

Amigos, amigos, amigos
Viajar é sinónimo de conhecer pessoas interessantes, principalmente quando estamos longe dos amigos, pois saímos da nossa zona de conforto e permitimo-nos fazer novas amizades. No início pode parecer-lhe difícil abordar um grupo de pessoas e iniciar uma conversa, principalmente quando ele é composto por pessoas de outros países e que não falam a mesma língua que a sua. No entanto, existe uma lei universal que permite que os viajantes sejam extrovertidos e que não tenham receio de se infiltrar num novo grupo.

Conhecimento
Além de conhecer a cultura e a história do destino, vai aprender muito sobre si mesmo e sobre as suas capacidades. Quando fugimos da nossa zona de conforto, mesmo que por alguns dias apenas, abrimos um leque de novas possibilidades e exploramos novas versões de nós próprios. Quando voltar para casa e perceber que se desenrascou muito bem sozinho num país estrangeiro perceberá o poder do autoconhecimento.

Novos desafios
Acha que não vai ser capaz de se deslocar sozinho no metro de uma grande metrópole, como Nova York ou Londres, certo? Errado! Assim que se deparar com a dificuldade e a encarar de frente, perceberá que é capaz de muito mais do que imagina. Ao aventurar-se sem companhia num país estrangeiro e completamente desconhecido, acaba por perceber que os desafios não são nenhum monstro de sete cabeças e que podem ser facilmente superados, nem que tenha que parar para pedir alguma informação.

Experimentar coisas novas
Vai lá estar sozinho, sem fazer nada e de repente surge a oportunidade saltar de bungee jumping (algo que jamais faria se estivesse no seu país ou acompanhado pelos seus amigos do costume). De repente, surge uma vontade incontrolável de curtir uma nova aventura e, quando se dá conta, já saltou daquele bungee jumping e superou mais um desafio.

Sem miminho
Aquele amigo que sempre lhe oferece o ombro amigo nos momentos de desespero não estará lá para o consolar se alguma coisa correr mal. Desta vez, o sucesso ou o fracasso das suas férias está cem por cento nas suas mãos e fazer um drama por se ter perdido na cidade ou se ter atrasado ao apanhar o comboio de nada vai adiantar. Por isso, estará naturalmente mais propenso a resolver os seus problemas por conta própria e a parar de se preocupar com as coisas pequenas.



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.