Notícias

Descubra como funciona o Ensino Secundário no estrangeiro

      
Fonte: Shutterstock

Seja para aperfeiçoar o idioma ou conhecer melhor outra cultura, fazer o ensino secundário fora de Portugal é uma excelente oportunidade para os jovens viveren uma nova experiência. É possível viajar para diversos países, como os Estados Unidos, França, Canadá, Alemanha e Inglaterra.

Leia também:
» Todas as notícias sobre educação, carreira e emprego

Para a gestora de produtos da CI – Intercâmbio e Viagem, Paula Romero, é importante que o aluno tenha a habilidade de conviver com diferenças culturais e sociais. “Maturidade, flexibilidade e estudar a cultura do país em que está a ir viver são fundamentais. Além disso, o estudante deve estar apto a enfrentar novas situações”, explica.

De acordo com a CI, Inglaterra e Nova Zelândia são dois dos países mais atrativos para este tipo de intercâmbio. Na escola inglesa Cats, por exemplo, o foco é mais académico, com o objetivo de preparar os alunos para ingressarem numa universidade de renome. Já a escola neolandesa Kerikeri High School opta por uma combinação de estudos com atividades desportivas como golf, vela e surf.

Quando ir?

Segundo Paula Romero, as aulas começam de acordo com o início do semestre (para países do hemisfério norte, em agosto/setembro e fevereiro e para o hemisfério sul, em janeiro e julho); ou o ano letivo (geralmente agosto/setembro para países do hemisfério norte e janeiro para países do hemisfério sul).

Quem pode fazer?

1. Estudantes com idade entre os 15 e os 18 anos, que estejam a frequentar o ensino secundário com bom aproveitamento escolar (o desempenho mínimo exigido pode variar conforme as regras de cada instituição);

2. Nível de conhecimento intermédio de inglês.

Como funciona o alojamento?
São oferecidos programas com acomodação em casas de família ou em residências de estudantes, dentro da escola estrangeira ou próxima ao campus, oferecida, na sua maioria, em instituições particulares.

Como se deve preparar?
Segundo Paula Romero, o ideal é que toda a preparação seja feita no mínimo 6 meses antes do embarque. Desta forma, haverá tempo para fazer a candidatura, tratar da documentação para o visto, receber o visto e embarcar conforme a data solicitada pela escola.

O intercâmbio é reconhecido em Portugal?
O aluno pode aproveitar as disciplinas em que tenha aprovação no estrangeiro, pois o Ministério da Educação reconhece estes programas de mobilidade.

Quanto custa?
Os custos podem variar de acordo com o país, a escola e o curso escolhido. Para passar um semestre letivo em uma instituição pública americana com acomodação em casa de família e todas as refeições inclusas, por exemplo, a CI cobra uma média de 9 mil dólares. Lembramos também que a Associação Intercultura-AFS Portugal promove programas de mobilidade entre os mais jovens em vários países do mundo, prevendo também a instituição de bolsas de estudo para o efeito e que variam de acordo com o país escolhido.



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.