Notícias

Como são os professores Millennials?

      
Os professores Millennials estão habituados a estar digitalmente conectados de forma permanente
Os professores Millennials estão habituados a estar digitalmente conectados de forma permanente
  • Os professores Millennials cresceram habituados às tecnologias o que se traduz numa facilidade de adaptação às novidades.
  • A nova geração de professores espera ser valorizada e apoiada no trabalho e sente-se dececionada quando isso não acontece.
  • Se não estão satisfeitos, os Millennials são mais propensos às mudanças laborais.

Muita se fala sobre a Geração Y, também conhecida por Millennials, que representa uma importante fatia do mercado laboral e determina caminhos a seguir na política, consciência social e desenvolvimento científico e tecnológico. Mas qual será o impacto que terão os Millennials ao chegar ao sistema educativo como professores?

Nascidos entre meados dos anos 80 e finais dos 90, a primeira geração de professores Millennials chegou às escolas em 2013. As grandes vantagens destes novos professores estão relacionadas com a facilidade de usar as novas tecnologias, a fácil adaptação a novos ambientes e a forma fluída como comunicam com os alunos.

Quais as principais caraterísticas dos professores Millennials?

1)    Estarem sempre conectados

São a primeira geração que cresceu com a revolução tecnológica impulsionada pela Internet e pelos dispositivos móveis que nos fazem estar ligados a qualquer hora e em qualquer lugar. Por esta razão, os professores Millennials não só estão habituados a estar digitalmente conectados de forma permanente, como nem sequer imaginam a vida de outra forma. A facilidade com que usam as ferramentas tecnológicas pode ser uma vantagem funcional em comparação com as gerações anteriores de docentes, que por vezes apresentam falta de flexibilidade e polivalência.

Gostavas de ser professor?

Procura onde estudar

2)    Tendência para colaborar

A permanente conexão à Internet e o acesso às redes sociais transmitiu a à Geração Y uma consciência de comunidade, e de pertencer à mesma, totalmente diferente da que existia previamente. Não apenas no que se refere à dimensão, mas também à forma de se relacionar. A mudança do paradigma comunicativo produz um enfoque diferente na hora de solucionar problemas e a tendência dos Millennials é consultar os demais antes de tomar decisões ou trabalhar em conjunto compartilhando ideias e responsabilidades.

3)    Rejeitam hierarquias

Outra consequência direta da forma de comunicar a que a Geração Y se habituou traduz-se na ideia de paridade entre os interlocutores, verificando-se um esbatimento das hierarquias seja no contexto social, académico ou profissional. Os Millennials esperam ser escutados e que os seus comentários e sugestões sejam valorizados independentemente da antiguidade ou experiência. Neste ponto particular, as diferenças geracionais podem ocasionalmente provocar conflitos.

4) Resolver problemas de forma heterodoxa e inovadora

O acesso precoce à tecnologia também alterou a forma de pensar, analisar e solucionar problemas. As novas ferramentas habituaram a Geração Y ao imediato e por isso esperam que o tempo dedicado a certos temas seja curto e têm a expetativa que as soluções possam surgir de forma rápida e criativa.

Como se integram os professores Millennials na escola?

A inclusão dos professores Millennials nas escolas de todo o mundo significa, necessariamente, que novos educadores terão como dirigentes docentes de outras gerações. As marcadas diferenças entre eles (apenas 30% dos professores da Geração Y encaram a docência como uma carreira) pode ser motivo de tensão. Na Europa, os dados sobre a mobilidade docente indicam que os professores Millennials mudam de escola com uma taxa de frequência três vezes superior à dos seus antecessores.

Num artigo publicado na Education Update, Kristin Barker, uma jovem diretora norte-americana da Geração X comenta as dificuldades que tem sentido num estabelecimento de ensino com vários professores Millennials.

No primeiro ano como diretora contratou seis professores saídos diretamente da universidade, mas confessa que devido às suas novas responsabilidades acabou por não lhes dar muita atenção. Hoje todos trabalham noutros lugares.

“Os Millennials têm diferentes necessidades e expetativas. Esperam todos encontrar no sistema formação, apoio e os recursos que desejam. Sentem que têm direito a eles e ficam surpreendidos e dececionados quando isso não se concretiza”, explica. A diretora acrescenta que o seu erro foi pensar que a orientação que existia era suficiente. “Não era. Os professores Millennials estão acostumados a um enfoque muito mais colaborativo e a serem valorizados com frequência”, afirma.

Até ao momento ninguém sabe como vai ser o resultado do ensino da responsabilidade dos professores millennials, mas esta uma realidade a que vamos ter acesso nos próximos anos.



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.