Notícias

6 razões para estudar um curso técnico em Portugal

      
Os cursos técnicos superiores ministrados nos politécnicos exigem que os candidatos tenham o ensino secundário completo
Os cursos técnicos superiores ministrados nos politécnicos exigem que os candidatos tenham o ensino secundário completo
  • Os cursos técnicos superiores profissionais têm uma forte componente prática
  • Podem concorrer à inscrição num curso técnico superior profissional os estudantes que tenham concluído um curso de ensino secundário.
  • Estes cursos profissionais têm um nível de inserção muito mais elevado que muitas licenciaturas universitárias.

Os CTSP (cursos técnicos superiores profissionais) arrancaram em 2014-2015 e são ministrados na maioria por institutos superiores politécnicos. São cursos superiores mais curtos, com a duração de dois anos, não atribuem um grau académico, mas têm uma forte componente de formação profissional, com estágios em empresas com as quais as instituições celebram protocolos.

Gostava de tirar um curso técnico?

Procure na Universia

Nesse sentido, considerar um curso técnico pode ser uma ótima opção. Além de ter uma duração mais curta e propinas mais acessíveis, muitas destas profissões têm um alto nível de inserção no mercado de trabalho, mesmo para recém-formados.

De acordo com alguns dados de vários países, existe já uma grande percentagem de estudantes do ensino superior que optam por tirar um curso técnico, e este número tende a continuar a aumentar.

Mas o que leva tantos jovens a tomar essa decisão? Conheça seis razões poderosas para estudar um curso técnico:

1) Curta duração

Os cursos técnicos superiores profissionais são cursos superiores, com a duração de dois anos, que têm como objetivo formar técnicos superiores numa área de atividade profissional. Em pouco tempo vai poder ter em suas mãos um diploma que já lhe permite entrar no mercado de trabalho.

2) Custos baixos

As taxas e os custos de inscrição são consideravelmente mais baixos do que no caso de licenciaturas universitárias. Nas instituições de ensino superior públicas a propina anual apresenta, em regra, valores inferiores a 1000 euros e pode ser paga em prestações.

3) Não há provas de acesso a licenciaturas

Os cursos técnicos superiores ministrados nos politécnicos exigem que os candidatos tenham o ensino secundário completo, mas deixam de existir provas de acesso.

4) Alto nível de inserção

O mercado exige cada vez mais profissionais técnicos. Existem cursos cuja inserção no primeiro ano de saída ultrapassa os 95%.

5) Amplo campo de trabalho

O campo de trabalho é extremamente amplo para a imensa e variada oferta de cursos técnicos que existem. Da tecnologia às humanidades, passando pela arte, até ao trabalho manual.

6) Oportunidades de bolsas de estudo

Os estudantes dos cursos técnicos superiores profissionais têm, tal como os estudantes das licenciaturas ou dos mestrados, e nas mesmas condições destes, direito a pedir bolsa de estudos.

Os cursos técnicos superiores profissionais conferem um diploma de técnico superior profissional.

Este diploma habilita para o desenvolvimento de uma atividade profissional qualificada em áreas tão diversas como Multimédia, Gestão, Ambiente, Informática, Eletricidade, Eletrónica, Química, Hotelaria, Restauração, Turismo, Desporto, Viticultura ou Aquacultura.

10 formas simples de aumentar a capacidade cerebral


Infografía: 10 formas simples de aumentar a capacidade cerebral

Os neurocientistas comprovaram que o nosso cérebro tem a capacidade de mudar. Para que esta transformação seja positiva apresentamos ideias para exercitar a mente e potenciar a capacidade cerebral.



Inscreva-se e receba este infográfico gratuitamente





Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.