Notícias

Como prever um despedimento e como evitá-lo?

      
Muitos trabalhadores são apanhados desprevenidos quando lhes é feito o anúncio do despedimento
Muitos trabalhadores são apanhados desprevenidos quando lhes é feito o anúncio do despedimento
  • Existem mecanismos psicológicos que nos podem levar a ignorar perigos iminentes, em particular quando o trabalho está em risco.
  • Esteja atento ao ambiente ao seu redor, à atitude do chefe e colegas, para prever um despedimento.
  • Para tentar reverter o cenário tente reestabelecer a confiança perdida com os superiores hierárquicos.

Surpresas desagradáveis acontecem na vida. Quantos trabalhadores já foram alvo de um despedimento e estavam longe de imaginar o cenário?

“Em psicologia existe um conceito que se chama enviesamento cognitivo. Podemos defini-lo como o filtro com que todas as pessoas encaram a realidade, o que faz com que cada um veja a vida de forma diferente e que tenha uma ideia distinta das coisas.”

O alerta é deixado por Alberto Peña Chavarino, psicólogo e coach, alertando para o motivo pelo qual podemos ficar cegos a determinado tipos de situações como um despedimento. É uma espécie de autodefesa. 

Uma outra questão é que acreditamos ao máximo nos nossos pensamentos. O psicólogo, citado pelo diário espanhol El Pais, explica que neste caso estamos perante o “enviesamento de confirmação”. “Queremos convencermo-nos das nossas próprias ideias o que faz com que, em primeiro lugar, nos custe muito admitir que estamos a fazer algo mal, de que podemos estar equivocados. A tendência do ser humano é provar que temos razão e os outros estão errados”.

Perigos ignorados mesmo ao virar da esquina

O estar seguro de uma verdade leva a que irremediavelmente possamos ignorar um perigo que está mesmo ao virar da esquina. “A mudança da atitude das pessoas ao nosso redor, a alteração na forma de comunicação verbal ou não verbal do nosso chefe são indicadores de que algo se está a passar”, considera Ignacio Garcia de la Vega, coah da Making Leaders.

Por isso ativar o sistema de alerta na hora H é muito importante. Fique atento se o seu chefe não o convoca mais para as reuniões habituais ou se não coloca em prática as suas sugestões nem lhe pede ideias sobre os novos produtos.

Procura um novo desafio profissional?

Encontre na Universia

A reação dos colegas também pode ser denunciadora, se o ambiente está estranho, se sente os outros mais afastados ou até com alguma espécie de receio pode ser que seja o último a saber da sentença do seu despedimento.

Reestabelecer a confiança perdida

Muitas vezes o despedimento acontece porque se quebrou a confiança entre o trabalhador e o chefe de equipa, para que a lealdade funcione é necessário que exista uma boa sintonia. “Como não há confiança, não há segurança e ocultam-se mutuamente debilidades, erros e informações.

Chega-se a conclusões e juízos sobre as intenções ou atitudes, sem que sejam esclarecidas antes. Evitam-se reuniões e procuram-se razões para não passar tempo juntos”, considera Garcia de La Vega.

No momento em que se toma consciência da quebra de lealdade é necessário tentar compreender a origem e causa da crise. Peña Chevarino aconselha a que o trabalhador converse com o chefe. “Proponha uma pausa-café para explicar tranquilamente que está a notar que existe um distanciamento ao nível profissional, uma tensão no projeto ou nos assuntos de trabalho, pelo que gostaria de ter a oportunidade para falar da situação”.

Tenha uma atitude facilitadora

É importante que seja objetivo em relação aos problemas para que possa resolvê-los. Se o seu chefe detetou uma falha ou quer mudar as suas estratégias terá as suas razões. É necessário respeitar a hierarquia e reestabelecer o vínculo de confiança.

É também essencial que o trabalhador tenha uma atitude facilitadora. Esta posição não significa que deva ficar em silêncio. O psicólogo Peña sugere que deve tentar levar os chefes pela positiva e argumentar calmamente sobre as coisas que considera erradas e como melhorá-las.

Se por exemplo lhe pedirem para fazer três tarefas num curto espaço de tempo, evite calar-se, tentar fazer tudo e no final acabar por fazer as três com falhas e fora do prazo. É melhor dirigir-se ao superior hierárquico, com confiança, para que lhe indique claramente qual é a prioridade.

Se existem dúvidas sobre um projeto os especialistas aconselham a que se esclareçam todas antes de colocar mãos à obra.

Questione-se se está no lugar certo

Para conseguir lidar com o chefe deverá perguntar-se se está no lugar certo. “Quando estamos no sítio adequado tudo é mais fácil, mas se não é o seu lugar obviamente que não vai gostar da atitude do chefe nem vai estar de boa vontade no trabalho”, diz Peña.

O conselho não é que se mude de empresa (embora essa também seja uma possibilidade), mas tentar encontrar uma posição na estrutura empresarial que esteja mais de acordo com a sua filosofia.



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.