Monday :: 28 / 07 / 2014

TambémREGISTO | TRADUTOR | MIRÍADA XMAPA DO SITE

Noticia

Dia Internacional da Mulher: 8 de Março comemore o seu dia com mimos

O Dia Internacional da Mulher, celebrado um pouco por todo o mundo a 8 de Março, tem origem nas manifestações femininas por melhores condições de trabalho e direito de voto, que marcaram o início do século XX, na Europa e nos Estados Unidos.


ImprimirImprimirEnviar a un amigo EnviarPDFPDF

Neste dia, do ano de 1857, as operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve, ocupando a fábrica, para reivindicarem a redução de um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Estas operárias que, nas suas 16 horas, recebiam menos de um terço do salário dos homens, foram fechadas na fábrica onde, entretanto, se declarara um incêndio, e cerca de 130 mulheres morreram queimadas.

Em 1910, numa conferência internacional de mulheres realizada na Dinamarca, foi decidido, em homenagem àquelas mulheres, comemorar o 8 de Março como "Dia Internacional da Mulher". De então para cá o movimento a favor da emancipação da mulher tem tomado forma, tanto em Portugal como no resto do mundo.

Em 1975, as Nações Unidas resolveram instituir a data como forma de lembrar, quer as conquistas sociais, políticas e económicas das mulheres, quer as discriminações e as violências a que muitas mulheres ainda estão sujeitas um pouco por todo o mundo.

Mas comemorar o dia da mulher é muito mais do que isto. Na actual sociedade, e face à actual crise económico-social que se vive, a mulher gere, concilia e agrega várias facetas ao longo do dia: é esposa/companheira, mãe, filha, dona de casa, profissional, e tudo mais que seja necessário.

O facto é que, infelizmente, 35 anos após a instituição da data, as mulheres continuam a sofrer descriminações, mais ou menos graves, de acordo com as sociedades em que estão inseridas. No mundo Ocidental, continuam a ser uma minoria as que conseguem aceder a cargos de topo, muitas vezes barrados pelo facto de serem... Mulheres! Porque Mulher implica a possibilidade de ser mãe, de constituir família - como se os homens não tivessem também responsabilidades familiares...
Pergunto-me... será que podemos, também, relacionar este aspecto com os actuais valores da Taxa de Natalidade? Será que os actuais responsáveis, e refiro-me aos lobbies político-económicos, já pensaram verdadeiramente nas consequências do ritmo a que as actuais sociedades ocidentais estão a envelhecer? De facto, estamos a caminhar a passos largos para a morte anunciada dos sistemas de segurança social.

E nas sociedades subdesenvolvidas? É-nos impossível pensar no dia 8 de Março e no Dia Internacional da Mulher, sem lembrar a luta que muitas mulheres ainda travam contra a mutilação genital.

A Comissão Europeia lançou recentemente uma campanha em todos os países da União Europeia sobre as diferenças salariais existentes entre homens e mulheres. Sabia que as mulheres na Europa ganham, em média, menos 17,6% do que os homens pelo mesmo trabalho?(Dados do Eurostat para 2007)

A taxa de pobreza para as mulheres portuguesas com 65 anos ou mais é de 24%. Nos homens, 19%. Para as famílias monoparentais - e 90% são encabeçadas por mulheres - é de 39%. A pobreza no feminino é preocupante e é o tema de Março neste ano Europeu, até porque a pobreza se revela mais persistente precisamente entre as mulheres.

Um estudo recente liderado por Stacy L. Smith, professora da Universidade de Southern California, que se debruçou sobre os cem filmes com maiores receitas de bilheteira no ano de 2007, mostra que as mulheres continuam em minoria no cinema, apesar de existirem mais mulheres do que homens no mundo. De facto, nos filmes feitos em 2007, as mulheres apenas conseguiram 29,9% dos papéis. Mas quando se trata de um filme realizado por uma mulher, a percentagem de actrizes sobe para 44,6. No que respeita à presença de mulheres atrás das câmaras, a diferença ainda é mais esmagadora. De acordo com o mesmo estudo, 83 por cento dos directores, guionistas e produtores desses cem filmes analisados são homens. O lugar de realizador é particularmente sintomático: dos cem filmes analisados, apenas três foram realizados por mulheres.

Ainda nos números referentes ao papel da mulher na sociedade, de acordo com um inquérito da Deco Proteste a 2.009 pais, metade das mães responderam ter optado por ficar 5 meses em casa com o bebé, com salário reduzido. No entanto, o regresso ao trabalho, após o final da licença de maternidade, não foi fácil e cerca de 20% das mulheres que gozaram a sua licença de maternidade, encontraram problemas no regresso ao trabalho. Desde hostilidade de chefes e colegas a restrições no uso dos seus direitos.
O inquérito da Deco Proteste revela que 9% sentiram hostilidade do chefe ou colegas, enquanto 7% não usufruíram das horas de amamentação a que têm direito, e que se traduz em 2 horas por dia durante o primeiro ano do bebé. Segundo a Deco Proteste, a pressão laboral restringe por vezes, o gozo de regalias estipuladas na lei», diz a Deco.

Por tudo isto, gostaria de lembrar que dia 8 de Março é o Dia Internacional da Mulher. Neste dia todas as mulheres deviam reservar algum espaço para si próprias. Basta abrir a agenda mental e reservar pelo menos uma hora para fazer simplesmente o que lhes apetecer, não deixando de colocar bem visível o aviso de "Não perturbar". Basta um pequeno gesto para que se mimem e homenageiem a si próprias nesse dia, por exemplo, ler um livro descansadamente, ir ao cinema, fazer uma caminhada no parque, ir ao cabeleireiro e mudar de visual, usufruir de uma relaxante massagem, frequentar um Spa... A ideia é que reservem algum tempo para se mimarem, porque, as Mulheres merecem, e até gostam de ser Mulheres!

A data ainda é assinalada por várias instituições de várias formas, e em alguns casos, nos dias que antecedem a data.
Por exemplo, o Departamento de Arquitectura da FCTUC promove o evento Mulheres na Arquitectura - Colóquio, Exposição, Publicação, coordenado por Jorge Figueira, e a realizar no âmbito da XII Semana Cultural da Universidade de Coimbra, entre 4 e 21 de Março. O Colóquio vai ter lugar no Anfiteatro do Museu da Ciência, no dia 4 Março de 2010, e tem como objectivo fazer uma recapitulação da presença da mulher na história da arquitectura do século XX; apresentar o trabalho de investigação de arquitectas como testemunho dessa presença e vitalidade; e debater a presença pública e a contribuição da mulher em diversas planos - arquitectura, história, crítica, investigação - no panorama português. Este projecto visa um público alargado, por abordar a questão do papel da mulher na sociedade contemporânea.

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) promove, no próximo dia 3 de Março, a partir das 10 da manhã, no Teatro de Vila Real, um Seminário onde se vai discutir o papel da Mulher na cultura transmontana .

Também para premiar o sexo feminino com uma actividade única, divertida e que lembra o velho mote "Menina não entra", a Nissan volta a promover o maior encontro feminino de snowboard da Península Ibérica, o NISSAN Snowgirls 2010 Prove It . O evento está marcado para os dias 5, 6 e 7 de Março.

Entretanto, foi recentemente lançada online a Pordata, a maior base de dados sobre Portugal, pela Fundação Francisco Manuel dos Santos, e que permite encontrar milhares de estatísticas e indicadores sobre os mais diversos aspectos da realidade portuguesa dos últimos 50 anos. A ferramenta permite analisar, por exemplo as percentagens de mulheres licenciadas, com doutoramento, etc.







RSS   


Comentarios para esta noticia

 

Publicidad