text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Para além destas empresas, foram criadas 12 empresas que não resultaram directamente da tecnologia avaliada no Programa, mas para as quais o know-how adquirido no COHiTEC foi fundamental.

Algumas das empresas criadas no âmbito do Programa COHiTEC receberam, posteriormente, o apoio do Acelerador de Comercialização de Tecnologias (Act) da COTEC, nomeadamente:

    • a Consumo Em Verde (CEV), que recebeu um financiamento de 12,4 milhões de euros e irá comercializar um fungicida biológico de elevada eficácia, comparável à dos fungicidas obtidos por síntese química. A Consumo em Verde já possui um acordo de distribuição do seu fungicida para os EUA e Canadá, com a multinacional agro-química FMC Corporation.
    • a ACS -Advanced Cyclone Systems, que sededica ao desenvolvimento, comercialização e instalação de sistemas de filtragem e recuperação de partículas baseados em ciclones de elevado rendimento. Com um investimento de 1,5 milhões de euros, esta empresa já se encontra no mercado, vendendo os seus ciclones em três continentes e com uma previsão de vendas de 4 milhões de euros em 2014.
    • A 5ensesinFood, que irá desenvolver, produzir e comercializar ingredientes alimentares para os produtores de alimentos e bebidas funcionais. Estes ingredientes são produzidos com base numa tecnologia de fermentação inovadora a partir de uma matriz de aveia e microrganismos encapsulados. A empresa assegurou 1,4 milhões de euros de investimento por parte de um consórcio constituído por investidores nacionais e actualmente está a efectuar o scale-up industrial do processo industrial.
    • a Pharma 73 irá produzir e comercializar bio-polímeros para diversas aplicações industriais. O primeiro desses bio-polímeros é um excipiente funcional para as indústrias farmacêutica e de cosmética, o qual permite obter ganhos significativos de eficiência de produção nestas indústrias. A empresa obteve um financiamento de 300.000€ para a prova de conceito através de um fundo de capital de risco gerido pela Portugal Ventures.
    • a Thelial Technologies dedica-se à descoberta e desenvolvimento de princípios activos farmacológicos (APIs) para tratamento de carcinomas. A empresa utiliza uma tecnologia de screening de APIs inovadora, baseada na mosca da fruta, que permite detectar a interacção do API com uma molécula percursora de células cancerígenas. A empresa obteve um financiamento de 290.000€ para a prova de conceito através de um fundo de capital de risco gerido pela Portugal Ventures.
    • a ExtremoChem sintetiza moléculas orgânicas com propriedades estabilizadoras de proteínas. Estes compostos vão ser usados para a estabilização de biofármacos, medicamentos instáveis à temperatura ambiente que têm que ser sempre conservados entre 2-8 ºC, permitindo a eliminação da cadeia de frio que actualmente é utilizada para a distribuição deste tipo de fármacos. A empresa obteve um financiamento de 300.000€ para a prova de conceito através de um investidor privado.

  • Aliar a vertente científica e a vertente empresarial é a grande mais-valia do Programa COHiTEC, que este ano validou 16 tecnologias.

  • Após o COHiTEC, a COTEC Portugal continua a apoiar os projectos. Quem quiser pode candidatar-se a apoio na prova de conceito da sua tecnologia, na elaboração do Plano de Negócios e na negociação com os investidores através do Acelerador de Comercialização de Tecnologias da COTEC

  • Eventuais interessados em candidatarem-se à próxima edição do Programa COHiTEC poderão fazê-lo a partir de Novembro deste ano através do site do Programa (www.cohitec.com).


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.