text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Universidade de Coimbra (UC) classificada pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade

      
<p> A candidatura da <strong>Universidade de Coimbra </strong>contemplou o património material e imaterial da UC, que representa a sua história de mais de sete séculos. O património material abrange <strong>cerca de 200 imóveis</strong>, que vão desde a Alta à Rua da Sofia, onde começa a história da Universidade. São edifícios que ilustram a grande afluência cultural da instituição, com particular relevo para o mundo lusófono. O património imaterial inclui as várias tradições académicas, das praxes aos cortejos e cerimónias institucionais, sem esquecer a Canção de Coimbra.<br/><br/> Pedro Machado, presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal referiu na altura em declarações ao jornal <strong>Público</strong> que esta classificação pode posicionar Coimbra, mais e melhor, naquilo que é o desafio dos mercados em matéria de competitividade e atractividade na área do turismo.<br/><br/> Ao longo da candidatura foram realizados ainda projectos de reabilitação, como o <strong>Paço das Escolas </strong>e o <strong>Museu da Ciência</strong>, além do restauro da <strong>Torre da Universidade</strong>, projetos que foram financiados pelo <strong>Banco Santander Totta</strong>. O <strong>Santander Totta</strong> financiou todo o projeto de candidatura, que teve início em 2004 e que agora alcança o reconhecimento devido.<br/></p><p> Para <strong>António Vieira Monteiro</strong>, presidente do <strong>Banco Santander Totta</strong>, “a Universidade de Coimbra é um marco da história da Europa e esta distinção vai sublinhar a importância e necessidade de conservar este património tão especial para o nosso país. Apoiámos este projecto desde o seu início, há 10 anos, e estamos muito orgulhosos pela distinção conseguida.”<br/><br/> Com a Universidade de Coimbra passam a 15 as classificações nacionais que englobam a lista da <strong>UNESCO</strong>: os centros históricos de Angra do Heroísmo (Açores), Porto, Évora e Guimarães, os mosteiros da Batalha e Alcobaça, o Convento de Cristo (Tomar), o Mosteiro dos Jerónimos e a Torre de Belém, a paisagem cultural de Sintra, as gravuras rupestres de Foz Côa, a região do Alto Douro Vinhateiro, a paisagem da cultura da vinha da Ilha do Pico (Açores), as fortificações de Elvas e à laurissilva da Madeira.<br/><br/><br/> A relação com o Ensino Superior continua a ser a grande prioridade da política de Responsabilidade Social Corporativa do <strong>Banco Santander</strong> que, através do Santander Universidades (<a href=https://www.santander.com/universidades target=_blank title=www.santander.com/universidades>www.santander.com/universidades</a>), colabora com 1.027 universidades e centros de investigação de todo o mundo. <br/><br/> Em Portugal, 90% do investimento em Responsabilidade Social destina-se ao Ensino Superior, através de bolsas de mobilidade, prémios de mérito, apoios à inovação e ao empreendedorismo, entregues no âmbito dos <strong>45 convénios que o Santander Totta tem com Instituições de Ensino Superior</strong>.<br/><br/></p>

A candidatura da Universidade de Coimbra contemplou o património material e imaterial da UC, que representa a sua história de mais de sete séculos. O património material abrange cerca de 200 imóveis, que vão desde a Alta à Rua da Sofia, onde começa a história da Universidade. São edifícios que ilustram a grande afluência cultural da instituição, com particular relevo para o mundo lusófono. O património imaterial inclui as várias tradições académicas, das praxes aos cortejos e cerimónias institucionais, sem esquecer a Canção de Coimbra.

Pedro Machado, presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal referiu na altura em declarações ao jornal Público que esta classificação pode posicionar Coimbra, mais e melhor, naquilo que é o desafio dos mercados em matéria de competitividade e atractividade na área do turismo.

Ao longo da candidatura foram realizados ainda projectos de reabilitação, como o Paço das Escolas e o Museu da Ciência, além do restauro da Torre da Universidade, projetos que foram financiados pelo Banco Santander Totta. O Santander Totta financiou todo o projeto de candidatura, que teve início em 2004 e que agora alcança o reconhecimento devido.

Para António Vieira Monteiro, presidente do Banco Santander Totta, “a Universidade de Coimbra é um marco da história da Europa e esta distinção vai sublinhar a importância e necessidade de conservar este património tão especial para o nosso país. Apoiámos este projecto desde o seu início, há 10 anos, e estamos muito orgulhosos pela distinção conseguida.”

Com a Universidade de Coimbra passam a 15 as classificações nacionais que englobam a lista da UNESCO: os centros históricos de Angra do Heroísmo (Açores), Porto, Évora e Guimarães, os mosteiros da Batalha e Alcobaça, o Convento de Cristo (Tomar), o Mosteiro dos Jerónimos e a Torre de Belém, a paisagem cultural de Sintra, as gravuras rupestres de Foz Côa, a região do Alto Douro Vinhateiro, a paisagem da cultura da vinha da Ilha do Pico (Açores), as fortificações de Elvas e à laurissilva da Madeira.


A relação com o Ensino Superior continua a ser a grande prioridade da política de Responsabilidade Social Corporativa do Banco Santander que, através do Santander Universidades (www.santander.com/universidades), colabora com 1.027 universidades e centros de investigação de todo o mundo.

Em Portugal, 90% do investimento em Responsabilidade Social destina-se ao Ensino Superior, através de bolsas de mobilidade, prémios de mérito, apoios à inovação e ao empreendedorismo, entregues no âmbito dos 45 convénios que o Santander Totta tem com Instituições de Ensino Superior.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.