text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Veja o que NÃO fazer no perfil de LinkedIn

      
Fonte: Shutterstock
Fonte: Shutterstock

O LinkedIn é um site de relações voltado para o ambiente corporativo e, por isso, costuma ser analisado durante os processos seletivos. É por isso muito importante que os utilizadores façam um uso consciente do recurso e que ao mesmo tempo tenham cuidado com o tipo de informação que disponibilizam.

 

Leia também:
» Como se destacar em entrevistas de emprego
» Como decidir se este é o momento ideal para deixar o seu emprego
» Descubra o que toda a gente quer ouvir numa entrevista de emprego

 

Além disso, muitos sites de vagas analisam os perfis, recrutando novos funcionários para determinadas empresas. Para que o seu perfil desperte a atenção das empresas, veja o que não deve fazer no LinkedIn:

 

 

1- Não minta

A maioria dos recém licenciados na faculdade afirma que mentiram nesta rede social para conseguir o emprego que desejam. Só pelo facto de se enquadrar nesta categoria, os entrevistadores costumam desconfiar das informações postadas. Caso a mentira seja descoberta, a pessoa pode ser demitida. Por isso, não é aconselhável mentir no perfil do LinkedIn, nem no currículo. Além disso, se durante o processo de seleção suspeitarem de alguma informação do entrevistado, o departamento de RH certamente irá fazer uma pequena investigação para analisar e apurar a veracidade dos dados fornecidos.

 

2- Não cometa erros gramaticais

O perfil tem que causar boa impressão para o contratante e, por isso, erros de português são inadmissíveis. Para evitar esses problemas, peça a um ou a dois colegas para reverem o texto todo com a finalidade de apontarem possíveis erros. Além disso, aproveite para lhes pedir sugestões de como melhorar o seu perfil.

 

3- Não sincronize o LinkedIn com outras redes sociais

O site oferece uma ferramenta para sincronizar a sua conta em diversas redes sociais, como o Facebook, o Instagram e o Twitter. Muitas vezes os perfis pessoais são mais informais e, em 34% dos casos, podem atrapalhar os processos de seleção. Por isso, não deve interligar as redes de forma a manter a vida pessoal e profissional separadas.

 

4- Não escreva de maneira vaga sobre a sua vida profissional

Seja específico e acrescente detalhes sobre as funções que exerceu no emprego anterior. Deixe claro para o contratante quais são as suas habilidades e destaque exemplos práticos das suas conquistas. Descrições vazias e chatas dificultam a contratação.

 

5- Tenha recomendações no seu perfil

Para as empresas, é essencial verificar se o candidato tem indicações profissionais e ênfases nas qualidades que afirma ter durante o perfil. Segundo o LinkedIn, o ideal é que cada utilizador tenha no mínimo duas referências positivas. Caso nunca tenha trabalhado, porque preferiu dedicar o seu tempo académico exclusivamente à faculdade, algum professor pode atestar as suas qualidades na rede. O discurso desse profissional será um elemento diferenciador no seu currículo. Dificilmente conseguirá recomendações se não as pedir. Para começar a criar uma rede completa,  peça às pessoas para comentar os seus requisitos positivos e retribua a ação fazendo o mesmo pela pessoa em questão.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.