text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Dicas de motivação para estudantes e empregados

      
imagen-relacionada
Foto: Shutterstock

 

É muito comum que as pessoas se tentem motivar umas às outras baseadas nos seus próprios valores e naquilo que é interessante para elas. Temos a tendência natural de achar que nossas opiniões são melhores, não apenas para nós, mas para toda a gente. Podemos usar o exemplo de uma competição. Ao ganhar, muitos indivíduos descobrem como é boa a sensação da vitória. Eles passam a concluir que aprenderam algo sobre a natureza humana - que ganhar traz uma sensação ótima - quando, na realidade, aprenderam algo sobre si mesmos. Na realidade, nem todos gostam de ganhar, muitas pessoas odeiam rótulos ou qualquer tipo de concorrência e sentem-se desmotivadas com a competição.

 

» 7 conselhos para recém-licenciados
» 4 passos para atingir qualquer meta
» Descarrega 9 clássicos da Literatura Portuguesa

 

Alguns professores, por exemplo, acreditam que todos os alunos nascem com a curiosidade intelectual. Quando são confrontados por evidências incontestáveis de que alguns estudantes não são intelectualmente curiosos, tentam ensinar-lhes as vantagens do intelecto. Eles não estão a compreender os valores dos estudantes, mas a tentar convencê-los de suas próprias opiniões como educadores.

 

O mesmo acontece com os chefes que procuram motivar os empregados com bónus. Apenas alguns profissionais são motivados pela compensação financeira, outros sentem-se muito melhor quando sentem que são competentes e que estão a contribuir para o bem da sociedade. A pergunta que devemos fazer é: como aprender os valores e objetivos de alguém para que possas motivá-lo?

 

O professor Steven Reiss, da Universidade do Estado de Ohio, nos Estados Unidos, passou quase duas décadas a recolher provas para seu livro “Who Am I: The 16 Basic Desires That Motivate our Actions and Determine our Personalities”. Nele, Reiss diz que há 16 necessidades psicológicas comuns em todos nós, na nossa natureza humana: aceitação, curiosidade, alimentação, família, honra, idealismo, independência, ordem, atividades físicas, poder, romance, economias, contato social, status, tranquilidade e vingança.

 

Para o professor, todas as motivações humanas podem ser reduzidas a essas 16 necessidades ou à combinação entre elas. Ele diz, "se tu queres motivar alguém – uma pessoa amada, um estudante, ou um empregado – será sábio que te foques no que essas pessoas valorizam e apreciam". Aprende a identificar quais são os valores de teus empregados e estudantes e vais conseguir motivá- los de maneira eficiente e objetiva. Desta forma, nem tu e nem eles irão ficar frustrados com metodologias falaciosas.

 

 


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.