text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Tese da NovaSBE divulga fatores que contribuem para o sucesso académico no ensino superior em Portugal

      

Um dos fatores analisados neste estudo foi a existência ou não de uma bolsa de estudos. De acordo com este estudo ter uma bolsa de estudo pode significar melhores notas e uma maior probabilidade de terminar o curso dentro dos prazos habituais. Se procuras uma bolsa de estudos para complementar os teus estudos, consulta o portal de bolsas Universia. Esta tendência verifica-se sobretudo no caso das formações com nota de acesso mais elevada.

Outro grupo analisado neste estudo prende-se com os trabalhadores-estudantes. Quando analisamos este grupo assistimos a uma inversão da lógica. «Têm notas piores e têm maior probabilidade de terminarem fora de tempo o seu curso», constata José Cerdeira, formado em Economia pela Nova School of Business and Economics.

As conclusões constam da tese de mestrado de José Cerdeira, um jovem de 23 anos, que quis responder à questão: «o que determina o sucesso académico no Ensino Superior?». Para efetuar o seu estudo, analisou os dados de 27.412 estudantes que concluíram a licenciatura ou mestrado integrado em 2012, no âmbito de um estágio na Direção-Geral de Estatísticas da Educação e da Ciência.

O estudo apurou que os alunos bolseiros terminam o Ensino Superior com mais 1,55 décimas na média final no caso das universidades e 1,08 décimas no dos politécnicos. «Dividi os cursos com nota de entrada maior ou menor do que 15. O facto de ter a bolsa era, sobretudo, muito influente nos cursos cuja nota de entrada era maior do que 15 e normalmente são as mais difíceis de entrar e, muitas vezes, são os mais exigentes», explica José Cerdeira.

Tendo em conta os trabalhadores-estudantes, no caso das universidades públicas com média de entrada superior a 15, verifica-se que estes alunos têm menos 5,74 décimas na média final e mais 18,5% de probabilidade de terminar o curso «fora do tempo».

«Para o aluno pode parecer uma boa decisão, mas de acordo com o estudo, os alunos que trabalham sofrem imenso e pode não compensar devido à perda de ganhos e capital humano no futuro», considera o ex-estudante da Nova SBE, que critica a falta de sistemas de financiamento dedicados aos estudantes do Superior em Portugal.

Outro fator de condicionamento do sucesso académico prende-se com a escolaridade dos pais. Segundo este estudo a escolaridade dos país não tem uma «influência muito significativa» no sucesso académico dos estudantes do Ensino Superior, um dado que acabou surpreender José Cerdeira.

«Em relação aos pais, a formação académica destes não tem influência relevante direta. Tem, no entanto, uma relevância indireta para o sucesso académico através da influência que teve no sucesso do secundário, o que por sua vez determinou a colocação no Ensino Superior», explica.

O estudo «Preditores do sucesso académico: um estudo dos diplomados do Ensino Superior português» é feito com base em dados relativos ao ano letivo de 2011/2012. «São os dados que existem», critica o ex-estudante da Nova SBE, que apela a uma maior acessibilidade à informação estatística para fins de investigação.

E por falar em Ensino Superior, está a aproximar-se a fase de exames, pelo que deixamos aqui o mapa de exames para 2015:

 

E depois dos exames, seguem-se as várias fases de candidatura ao Ensino Superior que podes consultar neste mapa:


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.