text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Mais de 50% dos jovens portugueses considera que as praxes podem trazer consequências psicológicas

      
Fonte: Shutterstock

Uma sondagem realizada pela Universia e a comunidade de emprego Trabalhando.com analisou o efeito das praxes e de brincadeiras mais pesadas na vida académica dos jovens ibero-americanos. A tradição das praxes universitárias tem-se mantido ativa ao longo dos anos, e Portugal revela neste estudo que é uma prática muito comum nas universidades portuguesas, com 73% dos inquiridos portugueses a assumir que foi praxado na universidade. No caso dos restantes jovens ibero-americanos, o número passa para valores médios de 25%. Sabendo disto, a Universia, em parceria com a Comunidade de emprego Trabalhando.com, realizou um estudo para analisar o impacto destas práticas na vida do público jovem.

 

Leia também:
» Tire todas as suas dúvidas sobre estágios
» Vê como vivenciar uma oportunidade de estágio no exterior
» Professor: Conheça 8 habilidades que os jovens precisam de desenvolver ainda na escola

 

 

Dos que assumem que foram alvo de praxe, também revelam que estes atos tiveram repercussões na sua vida, sendo as consequências psicológicas as mais frequentes (59%), seguido de abandono dos estudos (20%).

 

 

Quanto à questão de se sentirem intimidados por algum colega, mais de 60% dos jovens portugueses responderam negativamente, em linha com os jovens dos restantes países (52%). Também a denúncia do ocorrido é algo transversal a todos os jovens, 80% assume que nunca o fez.

 

 

As Instituições de Ensino e as praxes


Por outro lado, também quisemos averiguar a perceção destes jovens a como a Instituição de ensino lida com estas situações, e os dados revelaram que, no caso português, 31% acha que as Instituições são permissivas e não dão a atenção devida a este tipo de situações. Na realidade ibero-americana, este valor passa para 41%.

 

 

Ao todo, participaram nesta pesquisa 2.453 jovens ibero-americanos entre os 16 e os 26 anos de idade (48%) e cerca de 80% têm estudos universitários ou de pós-graduação. Em anexo encontra-se uma infografia com os dados globais deste estudo.

 


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.