text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Que formação tem um diplomata?

      
A ideia que muitos têm do diplomata é que este vive num mundo de luxo e glamour
A ideia que muitos têm do diplomata é que este vive num mundo de luxo e glamour
  • O acesso à carreira de Diplomata é feito por concurso público.
  • Os diplomatas têm um papel fundamental nos processos de mediação.
  • A carreira diplomática é para aqueles que querem especializar-se em relações internacionais.

Os funcionários diplomáticos são admitidos, por concurso público, ingressando na categoria de adido de Embaixada. Podem candidatar-se todos os cidadãos portugueses que possuam, além das condições gerais de admissão na função pública, uma licenciatura conferida por instituições portuguesas de ensino universitário ou diploma estrangeiro legalmente equiparado.

Para entrar nesta profissão, como acontece com qualquer outro nível da função pública do estado, deve passar por um exame competitivo que visa selecionar os candidatos apropriados para a carreira diplomática.

Embora seja uma carreira generalista, há dois ramos que devemos diferenciar: política (dedicada à representação do Estado) e consular (focada na proteção de entidades e pessoas no exterior). De fato, o diplomata pode exercer as duas funções ao mesmo tempo ou intervir apenas em uma área.

Não existe um curso específico que prepare por completo os estudantes que querem fazer o concurso de acesso à carreira diplomática lançado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, mas Direito ou Relações Internacionais podem ser boas opções.

Quais as categorias que compõem a carreira diplomática?

A carreira diplomática é composta por cinco categorias: adido de embaixada, secretário de embaixada, conselheiro de embaixada, ministro plenipotenciário e embaixador.

Uma vez seleccionados, os diplomatas são adidos durante três anos. No fim desse período, passam automaticamente à categoria de secretário de embaixada. Por essa razão, os concursos de entrada são abertos de três em três anos. 


O nível a seguir aos Secretários de Embaixada decorre por concurso, após um período mínimo de 10 anos na carreira, oito anos de categoria e quatro anos de serviço externo, poderão ser promovidos a Conselheiro de Embaixada. Após um período de três anos na categoria de Conselheiro de Embaixada, e de seis anos de serviço externo, poderão ser promovidos a Ministro Plenipotenciário. Finalmente, poderão ser promovidos à categoria de Embaixador os Ministros plenipotenciários com pelo menos quatro anos nesta categoria e oito anos de serviço externo.

Gostava de trabalhar em Relações Internacionais?

Procure cursos na Universia

O que é ser um diplomata?

Um diplomata é um funcionário do Estado que desempenha funções de representação. Esse profissional deve promover as relações entre os Estados, representar o seu país, proteger os cidadãos residentes no exterior e recolher informações, entre outras tarefas.

Os Estados organizam a sua diplomacia de várias maneiras, de acordo com suas tradições administrativas ou o seu conceito de como deve ser a condução dos assuntos externos.

Ao diplomata é atribuído o estilo de ação que se caracteriza por ter bom senso, inteligência para analisar e gerir personalidades e acima de tudo um vasto conhecimento do mundo e das suas culturas. De todas as disciplinas administradas pelas universidades, a que um diplomata deveria conhecer melhor é a lei internacional e o que mais minuciosamente deve dominar é a boa educação.

Ser diplomata é uma profissão de prestígio social. O diplomata, na opinião geral, faz parte de um mundo que não é acessível aos mortais comuns. Um mundo de luxo, de intrigas, de mistério, de exotismo. 


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.