text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Já sei falar inglês... Que outras línguas posso estudar?

      
Conhecer uma segunda língua estrangeira tem cada vez mais peso quando se trata de se diferenciar no competitivo mercado de trabalho
Conhecer uma segunda língua estrangeira tem cada vez mais peso quando se trata de se diferenciar no competitivo mercado de trabalho
  • Falar outra língua é um benefício cognitivo e intelectual, mas também económico.
  • Dominar uma segunda língua estrangeira abre oportunidades no competitivo mundo de trabalho.
  • A motivação é algo muito pessoal e acima de tudo profissional, mas também existe o simples prazer de aprender idiomas.

Aqueles que procuram trabalho ou tentam melhorar a sua carreira já terão percebido uma coisa: falar inglês não é mais um fator diferenciador. Dominar o que se tornou a lingua franca deixou de ser um extra para adicionar ao currículo para se tornar algo que é dado como certo. Por exemplo, uma em cada três ofertas de emprego exige uma língua estrangeira e em 92% dos casos essa língua é o inglês, de acordo com um estudo recente da Adecco. Diante dessa homogeneização, como se pode realçar? Conhecer uma segunda língua estrangeira tem cada vez mais peso quando se trata de se diferenciar no competitivo mercado de trabalho.

Portugal foi o país da União Europeia que mais aumentou a proporção da população adulta com conhecimento de línguas estrangeiras na última década, com 70% dos portugueses a afirmarem que sabem outra língua além da materna, segundo o INE.

No ano passado, 71,8% das pessoas com idade entre os 18 e os 64 anos afirmaram conhecer outra língua para além da língua materna. Em 2007 aquela proporção era de 52% e em 2011 de 61,3%, adianta a publicação "Educação e formação de adultos em Portugal: retrato estatístico de uma década -- 2016".

A capacidade de se expressar em outro idioma aumenta as oportunidades de encontrar um emprego. Cada vez mais empresas estão a pedir uma segunda língua, embora seja geralmente por motivos específicos, como por exemplo, para uma posição que exige que tenha de lidar com diferentes mercados. Como é algo raro, esta competência valoriza-o bastante... Principalmente na altura de negociar o seu salário.

Gostava de tirar um curso línguas?

Procure cursos na Universia

Frente ao domínio absoluto do inglês, que outro idioma estudar? Esta decisão responde, em primeiro lugar, às motivações de quem quer voltar à sala de aula. Uma língua pode ser estudada pela atração criada pela cultura de um país específico, pela tradição familiar ou pelo simples prazer de romper fronteiras, falando tantos idiomas quanto possível. A razão mais comum, no entanto, é o desejo de progredir profissionalmente. E quanto mais sobe na hierarquia do trabalho, mais frequente é a necessidade de conhecer outro idioma.

Que idiomas devo aprender?

Não existe outra língua que, como o inglês, atravesse todo o mercado de trabalho: é a linguagem dos negócios, mas também da ciência e do mundo digital, além de ser essencial em setores como o turismo, farmácia, marketing. ... Escolher que segunda língua estrangeira estudar dependerá, em cada caso, do setor e até mesmo da empresa para a qual cada um quer direcionar os seus passos. Tenha em mente que deve em primeiro lugar garantir que tem um bom nível de inglês, de seguida escolha os idiomas que abrem mais portas. Esses idiomas são os que mais se relacionam com a direção do mercado de trabalho. Deve ter em conta o alemão como a primeira opção, porque ainda é o país mais forte da Europa e porque é muito difícil encontrar alguém que o domine. É uma língua com muita força, embora mais para posições técnicas do que para cargos de gestão.

Alinhado com o alemão aparece o francês. Linguagem associada à diplomacia, mas também a setores como hospitalidade, saúde e comércio, é uma opção óbvia tanto para a tradição de aprender francês na escola em Portugal como por uma simples razão geográfica: a proximidade e o número de imigrantes portugueses em terras gaulesas encorajam relações estreitas entre empresas de ambos os países.

Outra opção é olhar para as economias emergentes e aprender, russo, chinês ou árabe, línguas consideradas minoritárias, mas com cada vez mais força e acrescenta-se mais uma alternativa a ter em conta: o Hindi. É interessante por razões demográficas e económicas. A Índia será o país com mais habitantes do mundo e é por isso que esta língua será muito importante no contexto global.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.