text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Guia para consultar o portal da DGES

      
dges
Para muitos estudantes, esta é conhecida como a época do chamado ou vai ou racha.  |  Fonte: iStock

A DGES possuí um portal bastante completo e o conhecimento acerca deste é uma ferramenta essencial para quem está a fazer a sua candidatura ao Ensino Superior. Para os alunos que ainda não estão a concorrer para o Ensino Superior, poderão consultar este portal para saber acerca das notas dos últimos colocados em cada curso e poderem ter uma noção acerca das médias de entrada. É a partir deste conhecimento que os alunos poderão começar a fazer planos futuros e prognósticos acerca da sua própria média no final do 12º ano. Por estes motivos, a Universia preparou este guia de consulta do Portal da DGES, para que possas esclarecer todas dúvidas e começar a preparar o teu futuro.

Candidatar-me ao Ensino Superior – Ano letivo 2020/2021

A candidatura ao ensino superior é um passo importante para qualquer estudante que tenha decidido continuar o seu percurso académico. As candidaturas devem começar a ser preparadas com alguma antecedência, principalmente no que à escolha das licenciaturas e universidades diz respeito. Com o preenchimento da candidatura online na DGES, o processo de acesso ao ensino superior ficou bastante facilitado.

Existem 3 fases no concurso nacional de acesso ao ensino superior público, sendo que do 1º para o 3º apenas estarão disponíveis as vagas sobrantes. Para este ano, 2020, já estão calendarizados alguns dos exames nacionais de 1ª e 2ª fase. A primeira fase terá lugar ao longo do mês de Junho, ao passo que a 2ª fase ocorrerá durante Julho. Para mais informações podes consultar este Calendário para os Exames Nacionais

 As instituições de ensino superior privado, universitário e tecnológico, possuem os seus próprios concursos e datas de candidaturas. Para que não hajam dúvidas deixamos aqui um guia das candidaturas online ao ensino superior público.

Garantir a senha de acesso

O primeiro passo para iniciar a candidatura online através do portal da DGES é garantir a senha de acesso. A partir de Fevereiro, pode pedi-la através do site e para o fazer irá necessitar de preencher um formulário onde irá indicar um endereço de e-mail. As instruções e a documentação para certificação do seu pedido da senha de acesso serão enviadas para o e-mail indicado. O documento para certificação terá que ser validado na sua escola ou num gabinete de acesso ao ensino superior. Só após certificar o seu pedido terá acesso à senha, como vemos, a atribuição da senha é um processo algo demorado e devemos iniciá-lo quanto antes.

Ficha ENES

Para além da senha de acesso, irás ser necessário pedir a ficha ENES na escola que frequenta. Esta ficha é uma espécie de currículo onde estarão as disciplinas que foram por si concluídas e também as notas das mesmas, bem como a média final do ensino secundário.

Preenchimento das opções

Este é um dos passos mais importantes da candidatura online para acesso ao ensino superior. Poderás escolher até 6 licenciaturas que deverão ser ordenadas por ordem de preferência. O preenchimento das 6 opções aumenta a hipótese de ser selecionado para o curso e instituição desejado. Os candidatos serão sempre avaliados por notas e não pela ordem de preferência, isto é, mesmo que seja colocado na sexta opção não ficará atrás de um estudante que tenha escolhido essa licenciatura como 1º opção mas tenha uma nota inferior.

Para começar o processo de candidatura ao ensino superior, deverás em primeiro lugar realizar uma pesquisa sobre quais os cursos disponíveis e que instituição de ensino desejarias frequentar.

O melhor será procurar toda a informação na DGES. A pesquisa pode ser realizada de diferentes formas:

 

  • Pela área a que desejas concorrer: podes visualizar os cursos que existem em cada área (área/curso);

  • Pelo curso a que queres concorrer: é possível encontrar as várias instituições em que existe o curso pretendido (curso/instituição);

  • Pelo distrito: são listadas as instituições com cursos de ensino superior no distrito da pesquisa (distrito/instituições);

  • Pela instituição: permite ver os cursos que existem em cada uma das instituições de ensino superior (instituição/curso).

Quando preenches uma opção ficará visível na nota de candidatura ao curso. Se não se verificar esta situação é porque não cumpre um dos requisitos de acesso, como por exemplo, não teres realizado o exame de acesso.

Pré-Requisitos

Alguns cursos incluem nas suas condições de acesso pré-requisitos, isto é, podem exigir a prestação de provas que poderão limitar o acesso ao curso ou à seriação dos estudantes. Estas provas podem ir desde testes de aptidão física ou artística, e após a sua realização o estudante irá receber um código que deverá guardar até à altura da sua candidatura pois irá necessitar de o inserir na sua candidatura online.

Após o preenchimento da ficha de candidatura online irá aparecer uma mensagem que informa se o preenchimento foi feito corretamente ou existe algum erro de preenchimento. No caso de ter sido preenchida corretamente, deve proceder à impressão do recibo comprovativo da candidatura. No caso de ter algum erro, deve corrigir o preenchimento. As candidaturas online podem ser preenchidas diversas vezes até ao final do prazo. Caso haja alguma mudança de ideias, poderá alterar a sua candidatura.

A candidatura a uma das fases não impede o estudante de se candidatar novamente a uma fase seguinte. Assim, caso tenha repetido algum exame na segunda fase e esteja à espera de saber se conseguiu melhorar as suas notas de acesso não deverá deixar de lado esta oportunidade inicial.
 

Elegibilidade e Requerimento de uma Bolsa de Estudos

Frequentar a universidade representa um custo em propinas, material escolar, livros, transportes, alimentação e alojamento se necessário, que algumas famílias não conseguem suportar. É por esse motivo e para que todos possam ter acesso ao ensino superior que foram criadas as Bolsas de Estudo – um apoio social direto para os estudantes com carências económicas.

As bolsas de estudo são cofinanciadas pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado português. O ministério da Educação e Ciência define os montantes e condições de atribuição. As condições de elegibilidade dependem de uma série de fatores como o rendimento do agregado familiar. Para saber se tem direito a uma bolsa de estudo da DGES (Direção-Geral do Ensino Superior) é possível fazer uma simulação online.

Quem pode receber bolsa de estudo?

Podem receber este apoio monetário os estudantes matriculados no ensino que sejam cidadãos nacionais ou de outro país da União Europeia, assim como os apátridas e beneficiários do estatuto de refugiado político.

Podem ser atribuídas bolsas de estudo no âmbito do sistema de apoios sociais para a frequência de cursos ministrados em instituições de ensino superior os estudantes inscritos:

  • Em cursos técnicos superiores profissionais; 

  • Em cursos de licenciatura;

  • Em cursos de mestrado integrado;

  • Em cursos de mestrado.

Pode também ser atribuída bolsa de estudo aos licenciados ou mestres que, no período de 24 meses após a obtenção do grau, se encontrem a realizar estágio profissional para o exercício de uma profissão.

É ainda condição fundamental que o agregado familiar não tenha património mobiliário superior a 100.560 euros (240 vezes o valor IAS – indexante dos apoios sociais), que o rendimento per capita seja igual ou inferior a 6.707,52 euros anuais (16 vezes o valor do IAS) e que tenha a situação tributária e contributiva regularizada.

Em quantos ECTS tenho que estar inscrito para efeitos de atribuição de bolsa de estudo?

Tem de estar inscrito num mínimo de 30 ECTS, salvo as exceções previstas no Regulamento.

Quero estudar no estrangeiro. Posso concorrer a bolsa de estudo?

As bolsas de estudo atribuídas ao abrigo do Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior destinam-se apenas a estudantes matriculados e inscritos, em instituições de ensino superior portuguesas, em cursos técnicos superiores profissionais, e em ciclos de estudos conducentes aos graus de licenciado ou mestre.

Qual o prazo para apresentar candidatura a bolsa de estudo?

A candidatura à atribuição de uma bolsa de estudo deve ser submetida:

Entre junho e setembro;

Nos 20 dias úteis subsequentes à inscrição, quando esta ocorra após setembro;

Nos 20 dias úteis subsequentes à emissão de comprovativo de início de estágio por parte da entidade que o faculta, no caso de licenciados ou mestres que estejam a realizar estágio profissional.

Posso apresentar a candidatura a bolsa de estudo fora do prazo fixado?

A candidatura pode ainda ser submetida entre outubro e maio, sendo que, nesse caso, o valor da bolsa de estudo a atribuir é proporcional ao valor calculado para um ano, considerando o período que medeia entre o mês seguinte ao da submissão do requerimento e o fim do período letivo ou do estágio.

Consultar o Índice de Cursos/Universidades na plataforma da DGES

No índice de cursos e universidades é possível ver informações como as notas de colocação em anos anteriores, quais as provas ingresso necessárias para um determinado curso e outros dados estatísticos relevantes. Para consultar este índice tem que aceder a este link. Poderá consultar este guia de várias formas. Em primeiro lugar através da área de estudos e nome do curso. Aí é possível verificar em que instituições os cursos são lecionados. Também poderá consultar este guia por distrito e instituição. Este guia fornece também um assistente de escolha de curso, no qual poderá pesquisar o curso segundo as provas de ingresso que realizou.

Escolha de Cursos na Plataforma da DGES

Na candidatura ao ensino superior público através do concurso nacional, cada estudante pode concorrer a um máximo de seis pares instituição/curso, ou seja, a seis combinações de instituições e cursos que devem ser indicadas por ordem de preferência.

É aconselhável que preenchas as seis alternativas, uma vez que assim tens mais possibilidades de conseguir uma vaga no ensino superior no ano em que te estás a candidatar. É importante que coloques em primeiro lugar o curso da tua preferência, decrescendo até ao curso/instituição que gostarias menos de frequentar.

Quando realizares a tua pesquisa não te esqueças de verificar também qual a média do último aluno colocado em anos anteriores. Se tens uma média de 14, por exemplo, não deves arriscar e apenas concorrer para cursos em que a média do último colocado seja de 16. Nestas situações corres o risco de não entrar em nenhuma das opções a que concorreste.

Outras Informações prestadas pelo Portal da DGES

Para além de todas as informações referentes ao Ensino Superior ou atribuição de bolsas, também constam outras informações relevantes para os alunos a frequentarem qualquer Instituição de Ensino Superior. Entre elas estão informações relativas à mobilidade, internacionalização e reconhecimento de graus académicos (tanto para alunos estrangeiros, como portugueses no estrangeiro). Em todos estes estes domínios pode ser consultada a legislação vigente, assim como contactar a DGES para qualquer assunto relativo a estes processos e trâmites.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.