text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Como fazer um currículo que faça diferença

      
Como fazer um currículo que faça diferença
Como fazer um currículo que faça diferença  |  Fonte: istock

Em qualquer candidatura para uma vaga de emprego o currículo pode ter uma influência ímpar na sua seleção, mesmo antes de qualquer entrevista. Mas o que devemos escrever num currículo? Como organizar a informação que aí colocamos?

A primeira informação a constar num currículo são os nossos dados pessoais. Por isto se entenda nome, morada, e-mail e contatos telefónicos. Qualquer outra informação pessoal como idade, cor da pele, género sexual é irrelevante e pode ser encarada de forma depreciativa, visto dar azo a uma seleção discriminatória.

O segundo passo no currículo é escrever a sua formação académica e/ou escolar, por ordem cronológica. Portanto, formação escolar deve vir antes da formação universitária. Devemos estar atentos quanto ao que pode ou não ser relevante no currículo consoante o emprego a que se candidata. Caso esteja a candidatar-te para uma vaga que requer formação a nível da licenciatura ou mestrado, torna-se irrelevante a informação sobre onde estudou ao nível escolar, pois está subentendido que o principal para a vaga é a licenciatura ou o mestrado. Não se esqueça: não existe um modelo universal de currículo, cada vaga de emprego exige diferentes características curriculares.

Em terceiro lugar o currículo deve ter informação clara e concisa sobre a sua experiência profissional até ao momento em que se candidata. Como foi feito na formação académica, também esta informação deve ser escrita por ordem cronológica. Deve também adicionar uma descrição onde esteja incluído: o nome da empresa em que trabalhou, a duração da sua permanência em função, qual o cargo que ocupava e as principais tarefas e responsabilidades associadas.

A quarta parte do seu currículo deve possuir experiências extralaborais. Como por exemplo, cursos, formações e especializações, que devem ser descritas de modo a mostrar como se integra a sua experiência e conhecimento na sua área de trabalho. Também pode acrescentar, se achar pertinente, experiências de voluntariado e projetos pessoais, como forma de se distinguir de outros potenciais candidatos. Por último, deve pôr os seus conhecimentos linguísticos e o nível de cada língua que domina. Neste caso pode usar uma descrição mais simples e comummente aceite (básico, médio, fluente, nativo) ou o Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas.

Um currículo pode ainda ter uma foto do candidato/a. Um bom currículo é capaz de ter todas essas informações e sintetizá-las de maneira eficiente para que o leitor ou avaliador do currículo reconheça as características gerais e as qualidades do candidato. Ter um bom currículo é imprescindível para que se possa concorrer a boas vagas de emprego, com maior probabilidade de ser chamado. Estas dicas podem ajudá-lo a criar um currículo que faça a diferença.  


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.