text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Lidar eficientemente com o Despedimento

      
carta de despedimento
Carta de demissão  |  Fonte: iStock

Muitos empregos novos estão a surgir, assim como diferentes formas de executar o trabalho – que não existiriam sem a evolução tecnológica e de informação que estamos a viver presentemente. Assim, o despedimento deixa também de ter o mesmo estigma, existindo até uma certa perceção de que um bom trabalhador terá passado por diversos postos de emprego e diversas funções. Ainda assim, muitas pessoas encontram-se pouco preparadas para lidar com o despedimento, tanto a nível emocional como a nível técnico (como é o caso da elaboração de uma carta de demissão). A Universia recolheu alguns conselhos para que possa saber lidar com este momento.

Como lidar com o despedimento

Quando alguém é despedido vive um momento de encruzilhada laboral. Aproveitar o tempo para descobrir se está realmente feliz com a sua carreira é a recomendação dos especialistas

  • O desemprego pode ser um momento para repensar a sua vida profissional e encontrar algo que o realize mais.
  • Seja positivo, não perca a confiança e continue a lutar para que o sucesso faça parte do seu vocabulário.
  • Nunca fique de braços cruzados e comece desde logo a preparar a sua próxima entrevista de emprego.

Todos os dias ouvimos falar de alguém que perdeu o emprego mas, embora para quem está a viver a situação pareça impossível, o melhor é tentar transformar este momento difícil em algo positivo. Já diz o ditado “quando uma porta se fecha, há sempre uma janela que se abre”. A paragem pode servir para uma renovação e para transformar o que está não está a funcionar. Aprenda a lidar com esta situação.

 Analise a nova situação

Faça uma lista e considere as causas que podem ter conduzido à perda do emprego: terá sido o seu comportamento, o desempenho profissional ou o relacionamento com seus colegas e chefe? Seja crítico e pense como poderia ter prevenido esses erros para evitar cometê-los novamente.

Enfrente o desemprego

Perder o emprego afetará inevitavelmente a sua autoestima, mas como bom profissional deve aprender a lidar com essas situações. Existem pessoas que não toleram a frustração e podem ficar deprimidas, porque são demasiado exigentes com os seus objetivos e têm dificuldade em entender que há ganhos e perdas em qualquer trabalho.

Transforme a experiência em algo positivo

Em vez de assumir o papel de vítima, fortaleça-se. Este é um momento para demonstrar de que fibra é feito e se é capaz de enfrentar a adversidade e ter sucesso. A verdade é que não será o primeiro nem será o último a experimentar fracassos. É a forma como lida com as derrotas que o fará crescer na sua carreira profissional.

Pense nos objetivos que deseja alcançar a curto e a longo prazo, prepare o caminho para alcançar as suas metas e comece a formar uma sólida rede de contactos para apoiar a sua inserção no mercado de trabalho. O networking gera 70% das oportunidades.

Regras para uma correta elaboração de uma carta de demissão

Imagine que conseguiu uma oferta de trabalho com melhores condições, ou que não está contente com o seu emprego atual, ou ainda que deseja parar de trabalhar para realizar a sua viagem de sonho. Em qualquer um destes casos, deverá escrever uma carta de demissão. No entanto, e para fazer tudo dentro dos trâmites legais, deverá conhecer algumas regras essenciais, bem como ter consciência dos seus direitos e deveres antes de rescindir contrato.

Refletir sobre a opção de demissão e comunicá-la

Antes de iniciar o processo, pense nas consequências da sua decisão. Muitas vezes a nossa intenção deve-se ao facto de estarmos descontentes com algo no trabalho, pelo que poderá ser resolvido tendo uma conversa com o nosso supervisor. Sendo assim, será melhor tentar expor a situação e chegar a um acordo. De qualquer forma, e mesmo que esteja determinado a avançar com a sua demissão, será sempre bom comunicar esta opção à entidade de forma prévia. Faço-o em tom amigável, com empatia, pois isso determinará uma saída “a bem” ou “a mal”. Como não sabemos o dia de amanhã, será de bom grado deixar sempre uma porta aberta para um eventual retorno.

Avaliar se a rescisão é com ou sem justa causa

Se a sua demissão tiver por base argumentos que caracterizam uma justa causa (p. ex. ordenados em atraso, ofensas à integridade física, falta de condições de higiene e segurança), deverá rescindir o contrato por escrito com a indicação dos factos que a justificam nos 30 dias seguintes ao conhecimento dos mesmos. Neste caso, terá direito a uma indemnização por parte da entidade empregadora. Nos restantes casos, quando a rescisão não é feita por justa causa, deverá respeitar os prazos que a lei estipula como aviso prévio (ver abaixo) e não receberá qualquer indemnização. Pelo contrário, caso não cumpra os prazos estipulados de aviso prévio, poderá ser obrigado a pagar à empresa em questão.

Verificar os prazos de aviso prévio

No caso de rescisão sem justa causa, deverá ter em atenção aos seguintes prazos de aviso prévio, presentes no Código do Trabalho (Artigo 400.º), segundo os diferentes tipos de contrato:

Contrato sem termo

a. Com menos de 2 anos – 30 dias de aviso prévio;

b. Com mais de 2 anos – 60 dias de aviso prévio.

 

Contrato a termo incerto

a. Com menos de 6 meses – 15 dias de aviso prévio;

b. Entre 6 meses e 2 anos – 30 dias de aviso prévio;

c. Com mais de 2 anos – 60 dias de aviso prévio.

 

Contrato a termo certo

a. Com menos de 6 meses – 15 dias de aviso prévio;

b. Com mais de 6 meses – 30 dias de aviso prévio.

 

Escrever e enviar a carta de demissão

A sua carta de demissão deverá ser sempre enviada por correio registado e com aviso de receção. Jamais envie a sua carta por email ou entregue em mãos. Seja qual for o motivo da sua rescisão, a carta de demissão deve ser redigida de forma simples, objetiva e amigável. A mesma deve conter os seguintes elementos:

  • Nome e morada da empresa;
  • Departamento e cargo da pessoa a quem é dirigida;
  • Local e data de redação;
  • Assunto;
  • Solicitação da rescisão de contrato com indicação sucinta dos motivos que o levam a demitir-se;
  • Referência da data de início e fim do período de aviso prévio, demonstrando que o está a respeitar;
  • Indicação da data que cessa funções;
  • Lembrança de quais os valores a receber (p. ex. subsídios, dias de férias);
  • Despedida enaltecendo as qualidades do trabalho que realizou ao longo do contrato;
  • O seu nome e a sua assinatura.

Saber quando é preciso mudar de trabalho

Gosta do seu trabalho, é bastante profissional e sabe que tem talento para atuar na área? No entanto isto parece não ser suficiente e algo está a deixá-lo desmotivado e com vontade de sair da empresa. Sentir-se desmotivado em certos períodos e situações pode ser algo frequente no percurso de um profissional, mas a vontade de pedir demissão e de deixar o emprego pode ter origem em problemas maiores.

A seguir, fique a conhecer 3 motivos que podem demonstrar a sua necessidade de mudar de trabalhos:

Sentimento de estagnação

Quando o funcionário sente o peso da rotina e percebe que não terá oportunidade para desempenhar mais tarefas e crescer dentro da empresa surge o sentimento de estagnação. Ninguém deseja passar anos dentro da empresa sem ter nenhuma perspectiva de mudança.

Acumulação de tarefas

Os bons funcionários, aqueles em quem o chefe deposita a maior confiança, costumam ser aqueles que acabam por acumular uma maior quantidade de tarefas. Passar por momentos de stresse e de fluxo intenso de trabalho é algo comum a praticamente todos os profissionais. No entanto, quando esse cenário se torna numa constante, o funcionário também se sente desmotivado.

Pouca autonomia

Todas as empresas precisam de gestão e de hierarquia para que os processos funcionem. No entanto, se os funcionários não tiverem liberdade para opinar, propor inovações e gerir os seus projetos, provavelmente ficarão desmotivados. Por isso, é essencial que haja um equilíbrio entre a gestão e a liberdade profissional.

Como voltar ao ativo depois de uma situação de despedimento

Quase todos os profissionais passam pela desafiadora experiência da demissão. Acontece com pessoas de sucesso que lutam dentro das suas possibilidades para superar essa frustração e seguir em frente, e também com indivíduos voláteis que não conseguem sair da estagnação e acabam num ciclo vicioso de desemprego. As circunstâncias que levam um profissional a ser demitido são muito diferentes e cada consequência será única. Mas independentemente da sua posição, é importante deixar a vergonha de lado e saber que cada fase, boa ou má, servirá para construir a sua história. Esta poderá ser a razão e o meio para voltar ao ativo depois de uma situação de despedimento recente ou de longa duração.

Deixe a vergonha de lado

Não esconda a situação. Se evitar contar a sua história, outras pessoas irão fazê-lo por si. Além disso, a vergonha poderá transmitir a ideia de que não é uma pessoa confiante. Quando ficamos constrangidos, mostramos isso pela nossa voz, postura e expressão facial. É importante evitar esses desvios.

Seja honesto

Ao admitir o que aconteceu poderá mostrar que quem ficou a perder, na realidade, foram os seus antigos empregadores. Não manipule a história, mostre apenas que é maduro o suficiente para admitir os seus erros e seguir em frente. Ao fazer isso irá sentir-se muito mais livre para estabelecer contactos e ter a ajuda de que precisa para voltar ao mercado.

Aproveite a oportunidade

Muitas vezes esse emprego não era a oportunidade dos sonhos e precisava exatamente desse “empurrão” para correr atrás do que realmente gosta de fazer. Aproveite essa oportunidade para tomar o rumo profissional que sempre desejou ou para fazer a viagem dos seus sonhos. O fôlego obtido durante esse período pode ajudá-lo imensamente na próxima etapa profissional.

Prepare a próxima entrevista

É normal que nas entrevistas lhe façam as mais variadas perguntas e algumas podem apanhá-lo desprevenido como, por exemplo, quais são os seus pontos fortes e fracos ou qual é o maior desafio que teve de enfrentar na sua carreira profissional. Não deve mentir, mas também não pode revelar falhas que acabem por prejudicá-lo. Transmita o seu crescimento pessoal e fale de algumas experiências de sucesso.

Ao colocar em prática estas dicas estará no caminho certo para superar este momento mais complicado da sua vida. Não se esqueça também de ter algum cuidado no que respeita às finanças até encontrar um novo desafio profissional.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.