text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

5 características de um bom líder comuns a qualquer tipo de liderança

      
Liderar uma equipa competentemente é cada vez mais uma skill indispensável.
Liderar uma equipa competentemente é cada vez mais uma skill indispensável.  |  Fonte: iStock

Liderar uma equipa competentemente é cada vez mais uma skill indispensável para os profissionais inseridos no mercado de trabalho que pretendam levar a sua carreira para o próximo nível ou aumentar o grau de performance do departamento sob sua supervisão.

Existem várias perspetivas sobre os diferentes tipos de liderança, e consequentemente sobre o conjunto de qualidades e características que definem um bom líder. Contudo, há um determinado número de aptidões que são transversais a qualquer que seja a perspetiva ou estilo de liderança - e são estas as fundações sobre as quais a base de uma boa capacidade de liderança irá assentar. Confira:


Articular uma visão clara


Um líder é um líder porque uma equipa é muito mais eficiente se for orientada consoante uma única visão. Pode até ser uma visão que leve em conta os diferentes pontos-de-vista (em princípio pelo menos deveria ser), mas a estratégia final é responsabilidade de uma única pessoa - o líder - e por isso mesmo será o líder a responder pela equipa caso falhe alguma coisa. Neste sentido, garantir que transmite uma ideia clara da sua visão do projeto e que a sua equipa o compreende é a prioridade n.º 1. Ter boas capacidades de comunicação, procurar ser amigável e construir relações de confiança com os diferentes membros da equipa são qualidades que também deverá procurar desenvolver em vários estilos de liderança.


Ser íntegro


Um bom líder deverá inspirar confiança e genuinamente motivar os seus seguidores a acreditarem no projeto. É difícil ligarmo-nos a alguém que finja que não se passa nada quando comete um erro mas seja o primeiro e apontar o dedo e a exigir consequências quando alguém falha em alguma coisa. A sua posição hierárquica enquanto líder, pela natureza das funções que lhe são intrínsecas, põem-no constantemente sob o olhar vigilante e crítico dos seus subordinados. Assim, e porque o exemplo vem de cima, é preciso saber admitir quando erra se quer ser um bom líder e não apenas ocupar o lugar de superior hierárquico.


Tomar decisões difíceis


Um bom líder deve saber estabelecer prioridades e traçar limites. Impedir que um elemento da equipa seja responsável pelo não avanço de um projeto, especialmente se este elemento não tiver um motivo que o justifique, é um exemplo de uma situação relativamente frequente. Mesmo que a pessoa tenha uma razão sólida do foro pessoal, e na eventualidade de a causa não estar diretamente enraizada num impedimento de ordem técnica não previsto na calendarização do trabalho - situação sobre a qual deverá agir o mais rapidamente possível por forma a garantir o desbloqueio das operações -, é imperativo que tome medidas para prevenir a estagnação do progresso da equipa. Por vezes é preferível (e necessário) saber quando pedir o afastamento temporário para o elemento da equipa ter espaço para lidar com a situação sem que isto comprometa a evolução do projeto. 


Ser empático


Por outro lado, ser um bom líder também significa compreender que, por vezes, mais vale dar a cara para renegociar uma data de entrega com um cliente do que perder um valioso elemento da equipa por este ter um esgotamento ou sentir-se sobrecarregado com trabalho. Não se trata apenas de uma questão de balanço analítico da produtividade da empresa a médio-prazo, mas também de mostrar a toda a equipa de profissionais com quem trabalha diariamente que é um profissional capaz de mostrar empatia e compreensão quando justificadas, mesmo que isso se traduza em inconvenientes para si. Se os seus subordinados virem em si esta capacidade, pode estar certo que o seu desempenho geral também irá gerar resultados positivos, uma vez que o seu nível de motivação, dedicação e compromisso será mais elevado. 

Atenção: ser empático não significa necessariamente ser bem-disposto e amigável - há estilos de liderança em que esta abordagem não faz sentido - significa sim ter a inteligência emocional para compreender a posição das outras pessoas e ter isso em consideração. 

Saber delegar tarefas


Saber delegar tarefas é um requisito indispensável para se ser um bom líder. Não empreenda numa estratégia de controlo megalómano porque acha que para a tarefa ficar bem feita, terá de ser você a fazê-la. Corra o risco de algo não ficar exatamente como gostaria, e aproveite a oportunidade para fazer alguém aprender com a sua experiência e crescer para futuramente se tornar um melhor profissional e, quem sabe, um bom líder.





Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.