text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Trabalhar como freelancer: guia estratégico para ser bem sucedido

      
Existem várias questões que ocorrem a quem pretende começar a trabalhar como freelancer em Portugal.
Existem várias questões que ocorrem a quem pretende começar a trabalhar como freelancer em Portugal.  |  Fonte: iStock

Engane-se quem pense que o sucesso de um freelancer se constrói a curto prazo, ou que trabalhar por conta própria oferece apenas vantagens e mais-valias. A decisão de iniciar uma carreira de freelancer é algo que deve ser cuidadosamente planeada, tendo em conta todas as implicações que a mesma exige. É confortável a ideia de nos imaginarmos a trabalhar a partir do nosso lar e no horário que mais desejamos, ou a viajar pelo mundo fora e escolher apenas projetos pelos quais somos apaixonados. Contudo, não nos esqueçamos de cumprir com as nossas obrigações fiscais, ou de viver com a ideia de que não teremos subsídio de férias ou décimo terceiro mês, ou mesmo com a incerteza de não sabermos se teremos ou não clientes no médio ou longo prazo.

É possível, sim, alcançar o sucesso profissional e a independência financeira a trabalhar por conta própria. Com este artigo pretendemos apresentar um guia estratégico com algumas dicas fundamentais para qualquer trabalhador que pretenda alcançar uma carreira de freelancer bem sucedida. De forma a facilitar a leitura do texto, resolvemos estruturá-lo segundo 7 diferentes questões:

  1. O que implica trabalhar como freelancer?

  2. Quais as maiores vantagens e desvantagens?

  3. Quando e como começar?

  4. Como e onde angariar clientes?

  5. Quais as ferramentas que todo o freelancer deve usar?

  6. Que erros a evitar?


O que implica trabalhar como freelancer?

O termo ‘freelancer’ é proveniente do inglês e refere-se a qualquer profissional que preste serviços por conta própria, para empresas ou pessoas, por um determinado período de tempo. Assim, trabalhar como freelancer implica ser patrão de si mesmo e, por isso, duas características fundamentais: disciplina e networking

Em primeiro lugar, é fundamental que seja uma pessoa extremamente disciplinada (e organizada). Afinal de contas, é o próprio freelancer que será responsável por tudo o que diz respeito à sua vida profissional. Desde a realização de tarefas e o cumprimento de prazos, à comunicação com atuais e potenciais clientes, à realização de orçamentos, à garantia de pagamentos, ao cumprimento das obrigações fiscais, entre outros. Perante tanta distração online, sem disciplina facilmente irá procrastinar, entregando trabalho fora do prazo ou acabando a trabalhar durante a madrugada. Além de prejudicar a sua imagem profissional, irá também contribuir negativamente para a sua saúde e qualidade de vida.

Igualmente importante, é a capacidade de fazer networking. Isto é, criar e manter uma ampla lista de contactos para conseguir boas oportunidades de trabalho. Apesar do elevado  número existente de plataformas para freelancers, a competitividade aumenta diariamente e nem sempre será fácil conseguir o que deseja. Por isso, e porque o ‘passa a palavra’ é ainda um método eficaz na angariação de clientes, quanto mais pessoas e empresas conhecer, maiores serão as hipóteses de conseguir ofertas interessantes e bem pagas. 

Quais as maiores vantagens e desvantagens?

Trabalhar por conta própria oferece um conjunto de vantagens e desvantagens. Como maiores vantagens, podem identificar-se:

  • Flexibilidade de tempo e espaço

Esta é talvez a maior vantagem pela qual muitos profissionais decidem iniciar a sua carreira como freelancer. Isto é, a possibilidade de escolher o seu horário e local de trabalho. Poder trabalhar em casa, de pijama, e não ter que se levantar de madrugada para ter que estar a horas no local do trabalho é, para muitos, o cenário ideal.

  • Autonomia e liberdade de escolha

Outra das maiores vantagens de trabalhar por conta própria é a possibilidade de sermos autónomos e escolhermos trabalhar na área em que gostamos. Já se imaginou a abraçar somente os projetos pelos quais é apaixonado? No início talvez seja difícil chegar a este nível de autonomia, mas com consistência a sua marca será conhecida cada vez mais e chegará uma altura em que isso será possível.

  • Possibilidade de maiores rendimentos

Num emprego por conta de outrém, independentemente da sua carga ou volume de trabalho, o salário será praticamente o mesmo. Já como freelancer, quem determina o valor a receber por hora ou por serviço é somente o profissional. Quantos mais trabalhos conseguir angariar, maiores serão os seus rendimentos. Dependendo da sua área e qualificações profissionais, é possível aumentar consideravelmente o valor que recebe por hora. 

Contrariamente, as maiores desvantagens associadas ao trabalho de freelancer são:

  • Falta de estabilidade

Sem a existência de qualquer contrato ou vínculo laboral permanente, a vida de freelancer é pautada por uma instabilidade financeira maior. Em épocas com maior procura do seu trabalho poderá tirar mais rendimentos do que o habitual, no entanto em épocas mais críticas esse rendimento tenderá a diminuir. Assim, é necessário que lide bem com a incerteza, começando desde logo por planear-se financeiramente e criar um fundo de emergência para que não passe dificuldades. 

  • Responsabilidades e benefícios fiscais

Desde o pagamento do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA), do Imposto sobre o Rendimento das pessoas Singulares (IRS), aos descontos para a Segurança Social. Todos eles são da única responsabilidade do profissional. Adicionalmente, e ao contrário dos trabalhadores dependentes, o freelancer não tem direito a alguns dos benefícios mais comuns, como o 13.º mês ou o subsídio de férias. 

  • Competitividade

Se o número de oportunidades aumenta com o mercado digital, a competitividade também. Não se surpreenda ao observar outros profissionais a oferecerem 3 ou 4 vezes menos do que o seu valor base para determinado serviço. Afinal, está a competir com profissionais de todo o mundo, muito deles localizados em países onde o salário mínimo é muito inferior ao salário português ou de outros países europeus.

Quando e como começar?

Uma das maiores perguntas de quem pretende iniciar a sua carreira freelancer é precisamente esta: quando e onde começar? Alguns defendem que é indispensável dedicar todo o nosso foco e tempo na atividade de freelancer. Isto é, que precisamos de nos dedicar a tempo inteiro a essa atividade. Outros argumentam que é possível iniciar o trabalho por conta própria em paralelo ao trabalho por contra de outrém; isto é, começar por conciliar ambos. 

A estabilidade financeira é para muitos sinónimo de sucesso profissional. Sabendo também que o trabalho de freelancer pode ser uma atividade instável e incerta, sobretudo no ínicio, optar por se despedir para começar a sua carreira por conta própria não é, de todo, a melhor decisão (a menos que tenha poupanças que lhe permitam ter um rendimento estável durante algum tempo). Desde logo, é essencial ter a certeza do que se pretende fazer como freelancer e começar a construir a nossa marca na área, angariando clientes. Só depois de termos a nossa reputação estabelecida é que fará sentido dedicar todo o nosso tempo ao trabalho de freelancer.

Se está a pensar começar a sua atividade de freelancer, tenha em atenção os seguintes aspectos:

  • Defina metas realistas (planeamento)

É essencial ter um plano, objetivos e metas bem definidas. Sobretudo que sejam realistas e possíveis de alcançar. As mesmas serão também fonte de motivação para trabalhar e devem ser renovadas ao longo do ano, de forma a aumentar o seu desempenho e crescimento. Poderá, por exemplo, focar-se em coisas muito elementares como ter um site profissional pronto no final do primeiro mês, ou ainda algo mais exigente como duplicar o lucro ou o número de clientes do primeiro para o segundo trimestre.

  • Foque-se somente numa tarefa (organização)

Não queira fazer tudo logo no início. É um erro tentar simultaneamente criar um site profissional, um blogue, uma página nas redes sociais, angariar clientes, etc. Ao contrário do que se acredita, a capacidade de multitasking (multitarefa), se é que ela existe, resulta numa quebra de produtividade. Assim, concentre-se apenas numa só tarefa. Há algumas estratégias que poderão ajudar nesse processo, como a famosa técnica Pomodoro.

  • Comprometa-se com a melhoria contínua (otimização)

A carreira de freelancer constrói-se com consistência, passo a passo, com a criação de um site profissional, com a melhoria do perfil das redes sociais, com a angariação de mais um cliente, etc.. Todo esse processo merece ser registado, para que tenhamos uma visualização da nossa evolução. Começar a trabalhar como freelancer exige que tenhamos um compromisso com a melhoria contínua e o auto-desenvolvimento constante, com a inovação e a recriação do nosso trabalho; só assim seremos mais reconhecidos e melhores profissionais.

Antes de decidir optar por uma carreira de freelancer, será importante fazer para si as seguintes perguntas:

  1. Quais são realmente os seus objetivos enquanto freelancer?

  2. Está disposto a trabalhar mais?

  3. Está apto para lidar com a incerteza financeira ou com outros imprevistos?

  4. É disciplinado e organizado?

  5. É capaz de desempenhar vários tipos de trabalhos?

Como e onde angariar clientes?

Enquanto freelancers, não devemos ficar à espera que os clientes apareçam. Assim, há determinadas estratégias que podem ser adotadas ou trabalhadas para aumentar a nossa probabilidade de angariar clientes, nomeadamente:

  • Plataformas online

Existem imensas plataformas online para freelancers onde se pode começar a procurar os primeiros clientes. Para além de encontrar propostas de trabalho nas mais diversas áreas e dos mais diversos tipos, estas são também ferramentas úteis para avaliar as necessidades do mercado. Por exemplo, para saber qual os nichos de maior procura e oferta, quais os valores e orçamentos base para determinadas áreas ou serviços, entre outros. 

  • Rede inicial de contactos

A forma mais fácil de procurar potenciais clientes é começar onde já temos alguma visibilidade ou reputação. Isto é, através dos nossos amigos, da nossa família, dos nossos antigos colegas de trabalho. Igualmente, outra estratégia passa por aproveitar os nossos perfis das redes sociais, como o LinkedIn, o Facebook, o Instagram, entre outras, para nos apresentarmos enquanto freelancers e divulgarmos o nosso trabalho. Inscrever-se em grupos, fóruns ou participar em conversas na rede é essencial. E, sobretudo no início, mais do que promover os seus serviços, é igualmente importante responder e ajudar de forma gratuita. 

  • Site profissional

Esta é talvez das tarefas mais essenciais no início da carreira de qualquer trabalhador por conta própria. É fundamental ter o seu próprio espaço online, onde apresenta a sua marca e os seus serviços. Para além do site profissional, pode também criar um canal no Youtube ou um blogue no qual publica conteúdo especializado da sua área e oferece aconselhamento gratuito, de forma a ganhar visibilidade. As publicações que escrever podem igualmente ser partilhadas nas suas redes sociais ou utilizadas numa candidatura de trabalho, pois acabam por ser um testemunho das suas competências e conhecimento.

  • Networking

A ideia é conhecer o máximo número de pessoas na sua área profissional, sejam potenciais clientes ou parceiros de trabalho. Através desse contacto, poderá conseguir angariar outros trabalhos, aprendizagens e projetos de sucesso. Desde a participação em workshops, conferências e/ou outros eventos similares, ao trabalho em espaços de coworking, todas elas são formas eficazes de fazer networking e aumentar a rede de contactos.

  • Currículo inovador

Pode ter um excelente currículo, mas se não o souber apresentar da melhor forma a probabilidade do seu cliente o ler é muito reduzida. Isto é, não vai ser lembrado nem conseguir destacar-se dos outros. Mas, e se o recrutador abrir o seu email de candidatura e deparar-se com algo completamente diferente? Isto é, um currículo criativo. Por exemplo, um vídeo currículo, ou um infográfico, com uma apresentação visual da sua história pessoal e percurso, seguida dum resumo das suas principais experiências profissionais. Aí sim, as probabilidades a seu favor irão aumentar e fazer toda a diferença!

Quais as ferramentas que todo o freelancer deve usar?

É essencial escolher ferramentas que potenciem a sua atividade enquanto freelancer. Desde serviços para alojamento, domínio ou criação do site profissional, a aplicativos que melhorem a sua organização e produtividade, a gestão dos seus documentos, contactos, etc. Confira 5 dessas ferramentas que podem ser úteis no seu dia a dia de freelancer:

  • Domínios.pt

A Domínios.pt opera em Portugal na área do registo de domínios e alojamento de websites. Os servidores estão alojados em território nacional, num datacenter construído para o efeito, proporcionando assim uma excelente qualidade de serviço. Esta empresa oferece uma enorme variedade de serviços, como por exemplo a criação da sua loja online ou do seu site profissional, a preços relativamente acessíveis. Por exemplo, o custo de um domínio .pt anual está fixado atualmente no valor de 15,95€.

  • Evernote

A Evernote é uma ótima ferramenta para quem gosta de navegar pela web e tirar notas frequentemente. Não só oferece versões para Android ou iOS, como também extensões para os diferentes navegadores. A mesma possibilita criar anotações de forma flexível, que facilitam a sua procura, organizadas por cores, temas, palavras-chave, ou ainda com anexos e desenhos feitos de forma manual. Adicionalmente, e caso pretenda, permite ainda incluir notificações com datas específicas para os itens anotados.

  • TickTick

O TickTick é um aplicativo que permite melhor organizar e gerir as suas tarefas. Com ele poderá planear o seu dia de trabalho, ter uma noção visual do volume de tarefas a cumprir e ser notificado quanto aos prazos de entrega. Como vantagens no seu uso, destacam-se a sua interface simples, intuitiva e altamente personalizável, a sua diversidade ao nível das possibilidades de categorização e organização de tarefas, as ferramentas de notificação, análise e visualização gráfica, e o cronómetro Pomodoro.

  • Google Drive

O Google Drive é um pacote gratuito de ferramentas disponibilizado pela Google de forma a facilitar a criação, edição, partilha, gestão e armazenamento de recursos na internet. O mesmo permite criar diferentes tipos de recursos, como documentos em texto, folhas de cálculo, apresentações gráficas, questionários, etc., permitindo a sua partilha e edição colaborativa com outros utilizadores, inclusive em tempo real, com troca de mensagens e comentários de forma simples e intuitíva. Adicionalmente, permite também trabalhar offline e sincronizar de forma automática todo o trabalho realizado assim que nos conectamos à internet.

  • Mozilla Thunderbird

O Mozilla Thunderbird é um aplicativo gratuito, multiplataforma, usado para gerir contactos de e-mail, listas de discussão, fontes de notícias, enviar newsletters, etc. O mesmo oferece a possibilidade de instalar diferentes extensões e recursos, como o ‘mail merge’ (ou ‘e-mail massivo’). Isso permite-lhe, por exemplo, enviar de forma automática mensagens padronizadas para qualquer lista de contactos, independentemente do seu tamanho, tendo apenas por base uma única tabela excel com nomes e endereços de e-mail.

Que erros evitar?

Por último, importa conhecer alguns dos maiores erros que os freelancers começam por cometer.

  • Desistir na primeira dificuldade

Os primeiros clientes são os mais difíceis de encontrar. Não desista! Dependendo da sua área, para alcançar um trabalho e atividade consistente, precisa de tempo, organização, planeamento e, sobretudo, perseverança. 

  • Limitar a sua aprendizagem

Ser freelancer implica ser o seu próprio patrão e, por isso, ter que aprender mais sobre outros assuntos que não os da sua área profissional. Nomeadamente, sobre empreendedorismo, finanças, organização, entre outros. Esses são aspectos essenciais para uma carreira de sucesso. 

  • Não ter planeamento financeiro

Um bom planeamento financeiro é essencial para lidar com momentos de instabilidade ou imprevistos. Saber quanto precisa de ganhar por mês para pagar as suas despesas permite que não esteja desesperado por falta de dinheiro. Adicionalmente, ter um fundo de emergência é optar pelo seguro, sabendo que em último caso há sempre um ‘plano b’.

  • Não fazer networking

Comunicar e conhecer clientes, profissionais e colegas de trabalho é muito importante para qualquer freelancer. Não descuide a sua vida social e participe em eventos de networking. Envolva-se com a comunidade de freelancers portuguesa, mantendo-se ativo e aumentando a sua rede de contactos.

  • Deixar de se atualizar

Como qualquer profissional, um freelancer também tem a necessidade de renovar e aumentar o seu leque de competências! À medida que vai trabalhando, utilize novas ferramentas e melhore os seus serviços. Complemente as suas competências com novas aprendizagens e crie projetos que aumentem valor à sua oferta de trabalho.

  • Esperar que apareçam clientes

Mais do que estar atento às ofertas de trabalho, importa criar tais oportunidades. Envie candidaturas espontâneas acompanhadas de trabalhos semelhantes que realizou. Isto é, propostas a empresas e clientes que tem a certeza que pode ajudar. Antecipar as necessidades de alguém é um passo gigante para angariar trabalho!

  • Não ter um site profissional

Crie o seu espaço e identidade online, seja um simples site profissional, no qual se apresenta e mostra o seu portfólio, seja algo mais diversificado que integre um videoblogue ou comunidade. Isso permite não só ser encontrado mais facilmente nos motores de busca, mas também aumenta a sua credibilidade e visibilidade no mercado. Com as ferramentas que atualmente existem para ajudá-lo nesta tarefa, não tem desculpas para recusar fazê-lo!

  • Ser desorganizado

A capacidade de organização é a base do sucesso de qualquer freelancer. Saber qual o volume de trabalho que o espera, gerir as datas de entrega, o tempo que necessita para as cumprir, identificar os clientes e os projetos prioritários, entre outros, é fundamental. Com uma agenda organizada, pode facilmente planear o seu trabalho, usufruir de mais tempo livre e aceitar ou recusar clientes,.

Conclusão

Trabalhar como freelancer não é uma decisão a ser tomada de ânimo leve, pois implica mais responsabilidade, disciplina, organização, persistência e networking. Contudo, é possível ser bem sucedido a trabalhar por conta própria. Com este guia esperamos tê-lo ajudado a entender como poderá alcançar esse mesmo sucesso. Continua com dúvidas ou questões que gostaria de ver respondidas? Já tem alguma experiência enquanto freelancer? Partilhe-a connosco nos comentários!  


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.