text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Testes psicotécnicos: tudo o que precisa saber para estar minimamente preparado

      
Existem testes psicotécnicos focados em diferentes pontos.
Existem testes psicotécnicos focados em diferentes pontos.  |  Fonte: iStock

Estes são exemplos de perguntas que podem constar num teste ou exame psicotécnico, dependendo da área ou do contexto em que se aplica. Os testes psicotécnicos são uma ferramenta utilizada nos processos de recrutamento e seleção de candidatos para uma vaga de emprego, geralmente antes de ser realizada a entrevista. Servem igualmente para ser utilizados em contexto educativo; quer no ensino obrigatório, para facilitar a escolha das áreas de estudo e ajudar o aluno a perceber melhor qual a sua vocação no final do ensino básico, quer numa fase posterior, durante o concurso nacional de acesso ao ensino superior, como pré-requisito para o ingresso em determinados cursos de licenciatura.

Devido à sua enorme variedade, nem sempre é fácil estar apto para a realização de um teste psicotécnico. Contudo, conhecendo os que são mais comuns e seguindo algumas recomendações básicas, certamente que a sua chance de ser bem sucedido aumentará. Desta forma, preparámos para si o presente artigo com a informação essencial acerca deste tipo de exames. Ora confira!

O que são testes psicotécnicos? 

Antes de ser convidado a participar numa entrevista de emprego ou de ingressar num curso universitário, pode muito bem ser chamado para realizar um teste psicotécnico. E porquê? Porque estas avaliações servem precisamente para distinguir candidatos com um perfil desejado para a função ou vaga em questão, daqueles que não o apresentam. Isto é, trata-se de determinar a aptidão que certa pessoa demonstra num contexto em particular. 

Tal como o nome indica, os testes psicotécnicos são instrumentos construídos para avaliar dimensões psicológicas e técnicas. Este tipo de exames consiste num conjunto de exercícios e tarefas que permite identificar características-chave das pessoas. Por norma, cada teste mede apenas uma característica, e para cada exercício há um tempo limite que é cronometrado, habitualmente curto, e uma única resposta certa.

Os testes psicotécnicos podem ser verbais, numéricos, de diagramas, de situações reais, entre outros. O facto de terem um tempo limite, permitem perceber como é que o candidato reage em situações adversas. Por exemplo, permitem avaliar como uma pessoa se comporta em situações de pressão, qual a sua rapidez de raciocínio, a sua capacidade de gestão do tempo, as suas aptidões, habilidades, conhecimentos, traços de personalidade e carácter, tais como a tolerância à frustração e à ansiedade.

Os testes psicotécnicos facilitam assim uma seleção mais rigorosa ou próxima do desejado. No entanto, os mesmos não deverão ser o único fator a ter em conta, e o ideal é que sejam utilizados de forma complementar a outros métodos, como a entrevista. Isto porque, a par das suas vantagens, os testes psicotécnicos oferecem também algumas desvantagens.

Como principais vantagens do uso de testes psicotécnicos, identificam-se as seguintes:

  • Testes padronizados e iguais para todos os candidatos;

  • Relativamente fiáveis (pouco permeáveis à mentira);

  • Maior rigor e utilidade em comparação com a entrevista;

  • Conseguem, de forma mais clara, determinar as capacidades e limitações dos candidatos;

  • Podem prever uma possível evolução e progresso na carreira.

Já como principais desvantagens, podemos reconhecer as seguintes:

  • Provocam ansiedade e tensão nos candidatos;

  • Apresentam uma natureza rígida e pouco flexível;

  • São frequentemente um fator eliminatório no processo de recrutamento ou preenchimento de vagas.

Quais os testes psicotécnicos mais comuns? 

De entre uma enorme variedade de testes psicotécnicos, destacam-se aqueles que são utilizados de forma mais comum, quer por empregadores, quer por instituições de ensino:

  • Testes de cálculo numérico

Medem a agilidade mental e, geralmente, consistem numa série de operações matemáticas de dificuldade progressiva a serem resolvidas num período limitado de tempo. Estes exames informam-nos acerca da capacidade e rapidez de raciocínio matemático das pessoas. Os mesmos contemplam exercícios como divisões, somas, subtrações, multiplicações e/ou problemas aritméticos, como o seguinte exemplo:

Um autocarro deixou a paragem às 8 horas para um percurso contínuo de 45 quilómetros. Após uma espera de 30 minutos iniciou a viagem de regresso. Se à ida a sua velocidade média foi de 30km/h, na volta foi em média 50% mais rápido. A que horas chegou ele à paragem?

  1. 10h40m; b. 11h00m; c. 11h20m; d. 11h40m; e. 12h00m;


  • Testes de aptidão e compreensão verbal

Estes exames informam-nos acerca do nível de conhecimentos linguísticos da pessoa. Os mesmos apresentam numa série de exercícios compostos de palavras, entre as quais deveremos descobrir a relação que as une, como o seguinte exemplo:

Encontre entre as quatro palavras propostas aquela que seja sinónimo da que figura em maiúscula. Sublinhe a palavra escolhida.

  1. DESAFORO

    1. Imprudência; b. Tropelia; c. Vazio; d. Conselho;


  • Testes de raciocínio lógico

Estes exames medem a capacidade de raciocínio lógico da pessoa e podem aparecer sob uma infinidade de formas: fichas de dominó, desenhos, figuras geométricas, etc. Um exemplo comum de um exercício deste tipo de testes é o seguinte:

Descubra qual é o número que continua a série.

    • 3, 4, 7, 11, 18, __


  • Testes de atenção e perceção

Estes exames psicotécnicos medem as aptidões para os números e para as letras, a rapidez e a perceção na realização de uma tarefa. Também medem a capacidade de detetar pormenores. Um exemplo comum de um exercício deste tipo de testes é o seguinte:

Assinale com um círculo o grupo de letras que não respeitam a ordem alfabética. Não se esqueça de que só há uma opção errada. A ordem alfabética é a da língua portuguesa.

    • avf; abc; ljm; nck


  • Testes de resistência à fadiga

Os testes de resistência à fadiga avaliam a capacidade de realizar tarefas monótonas que requerem atenção. Este tipo de testes permite medir de uma maneira fácil e rápida o rendimento e a capacidade para discriminar símbolos, como por exemplo:

Sublinhe no texto abaixo, escrito em alemão, as letras c, s, t e w que encontrar.

    • In jedem Kleide werd ich wohl die Pein.


  • Testes de capacidade de método

Consistem geralmente em listas de números ou de letras, que devem ser ordenados segundo uma ordem anteriormente fixada: ordem alfabética, de maior a menor, de menor a maior, etc. Um exemplo comum é o seguinte:

Ordene alfabeticamente os seguintes nomes. Coloque à direita o número de ordem a que corresponde.

    • SOARES DOMINGUES, João; Número de ordem: ___

    • SALVATERRA RAMOS, Pedro; Número de ordem: ___

    • NAVARRO ROMANO, Helena; Número de ordem: ___


  • Testes de memória e retenção visual

A memória que é medida por estes testes é a capacidade de memorizar rapidamente alguns dados; é a memória prática que nos permite recordar sem problemas os números de telefone dos melhores clientes e de alguns fornecedores habituais de empresa. Um exemplo comum é o seguinte:

Memorize os seis pares de palavras da lista seguinte e escreva-os no verso da folha.

Lua - Sol

Dia - Noite

Cadeira - Mesa

Cara - Coroa

Inverno - Verão

Bebida - Comida


  • Testes de emoção

Em algumas ocasiões, para melhor medir fatores como a motivação e as habilidades interpessoais, utilizam-se os testes emocionais, sendo que a interpretação dos seus resultados é feita normalmente por psicólogos ou profissionais especializados na matéria. No fundo, os testes emocionais tentam quantificar o grau em que aparecem determinados fatores da personalidade nas pessoas. Os mesmos podem ser classificados em três grupos: questionários de personalidade, questionários de interesse e testes projetivos.

Os questionários de personalidade são compostos por um número de perguntas ou enunciados mais ou menos elaborados, apresentados por escrito, e que tratam das nossas opiniões, comportamentos, atitudes, e sentimentos, como a introversão, a estabilidade, a motivação, etc. Os mesmos perguntam-nos como atuaríamos se nos encontrássemos em determinadas circunstâncias. Ao invés do que acontece nos outros tipos de testes psicotécnicos, nestes questionários não existem respostas certas ou erradas. Um questionário de personalidade não é um exame, apesar de ter duração limitada. Um exemplo comum é o seguinte:

Para cada afirmação, selecione a resposta (Verdadeiro/Falso) que mais se adequa ao seu comportamento.

    • Evito enfretar dificuldades (V) (F)

    • Quando decido fazer alguma coisa, faço-a imediatamente (V) (F)

    • Quando cometo um erro, critico-me a mim (V) (F)


Já os questionários de interesse, como o próprio nome indica, medem o interesse dos candidatos. Para além do seu uso em contexto profissional, os mesmos são também muito utilizados para orientação universitária e escolar em geral. Um exemplo comum é o seguinte:

Para cada afirmação, selecione o seu nível de interesse (Muito interessante / Interessante / Pouco interessante / Nada interessante).

    • Seguir as cotações das moedas internacionais

    • Estudar qualquer aplicação de uma fórmula matemática

    • Inventar o modo de conservar casas velhas

    • Pesquisar remédios científicos para melhor curar as pessoas

    • Examinar manuscritos ou volumes antigos não muito conhecidos


Nos testes projetivos enfrentamos uma situação adversa que nos obriga a reagir de uma maneira que revela os nossos impulsos, instintos, e a nossa verdadeira personalidade oculta. Pedem-nos, por exemplo, para desempenhar um determinado papel, para interpretar diferentes desenhos ou mensagens, entre outros. Ao contrário dos questionários, que se focam sobre traços específicos da personalidade, as técnicas projetistas caracterizam-se pela forma global de avaliar a personalidade. 

Para além dos diferentes tipos de testes anteriormente apresentados, há ainda a possibilidade do candidato ser colocado à prova através do desempenho de uma atividade prática, como a tradução de um texto, a simulação de chamada telefónica, ou ainda a simulação de venda de um produto. Dependendo da área profissional e da própria empresa, o candidato poderá ser colocado em diferentes situações de improviso para demonstrar a sua reação e comportamento, sendo algo difícil de prever quais os desafios com que se irá deparar.

Como estar minimamente preparado para a realização de testes psicotécnicos?

Como vimos anteriormente, os testes psicotécnicos servem sobretudo para medir as habilidades, aptidões, personalidade, comportamento e improvisação dos candidatos em situações muito específicas. Por outro lado, há uma imensa variedade de testes que podem ser utilizados. Assim, não existe uma forma única para se preparar para um teste psicotécnico, pois tudo depende do exercício que o empregador considerar importante e adequado para o desempenho da função e preenchimento da vaga em causa.

No entanto, e independentemente de correr menos bem a realização de um teste psicotécnico num determinado momento, nunca se convença de que não tem capacidade para os executar. Os testes são apenas um elemento em todo o processo de recrutamento e seleção. É importante saber encarar os resultados dos testes psicotécnicos que podem não correr bem e levar à desmotivação. Há que perceber, antes de mais, que o resultado dos testes pode ser condicionado em função de diversos fatores, como o cansaço ou o stress, por exemplo. Se, realmente, tiver de ser submetido à realização de testes psicotécnicos no âmbito de uma vaga de emprego, deve tentar adotar as seguintes recomendações:

  • Mantenha-se calmo antes e durante da realização do teste;

  • Descanse e alimente-se bem nos dias anteriores à realização do teste;

  • Siga na totalidade as instruções que lhe são dadas previamente pelo responsável e, em caso de dúvida, não hesite e peça novas explicações;

  • O objetivo não é ver se respondeu a todas as perguntas, mas se o fez acertadamente, por isso, e apesar do tempo reduzido, tente refletir antes de responder;

  • Seja coerente e sincero nas respostas que dá, sobretudo quando se tratam de testes de personalidade;

  • Se bloquear numa questão, passe imediatamente para a seguinte e não tente responder à sorte;

  • Pratique o máximo número de testes disponibilizados online que conseguir, como por exemplo os que se encontram disponibilizados pela Universidade do Porto ou pela Testworld.

Continua com dúvidas relativamente à realização de testes psicotécnicos? Já apresenta alguma experiência neste processo? Conte-nos a sua história nos comentários!


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.