text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Escolher um curso superior - eis a questão

      
Nada melhor do que ter a sua área de vocação, paixão profissional e aspirações futuras alinhadas e em consonância.
Nada melhor do que ter a sua área de vocação, paixão profissional e aspirações futuras alinhadas e em consonância.  |  Fonte: iStock

Se é um ás a Matemática, não perde um único episódio dos Segredos do Cosmos e o seu objetivo de carreira é ser Astrofísico, nesse caso atire-se com tudo à Astrofísica e quem sabe ainda poderá integrar a Equipa das Missões a Marte da próxima década! Porém, nem toda a gente tem a sorte de ter os seus pontos-fortes, talentos e objetivos de vida unidos pela mesma base em estado de harmonia universal. O que, por sua vez, poderá suscitar algumas dúvidas no momento de decidir qual o curso superior que pretende seguir. É o começo de uma nova etapa. É, se tudo correr bem, o momento em que se irá definir a área a que iremos dedicar o nosso tempo enquanto adultos inseridos no mercado profissional. Neste sentido, pode sentir que uma série de fatores que ainda há uns meses pareciam longínquos e despreocupantes começam agora a fazê-lo acusar a pressão. É normal, não pode é deixar que isto o destabilize nesta altura importante do campeonato - o segredo é dividir para reinar. 

Escolher um curso superior - “Estou dividido”


Em primeiro lugar, é preciso não esquecer os 3 aspetos  fundamentais na escolha de um curso:


  • Vocação

  • Saídas profissionais 

  • Gosto pela área


Em segundo lugar, a chave é identificar, priorizar, e escolher os 2 primeiros. Isto é, imagine que tem uma tremenda vocação para a Biologia, mas o salário, perspetivas de carreira e taxa de empregabilidade de um Gestor de Finanças são quase tão apelativos como a sua paixão natural pelo Teatro e a Escrita de Argumentos. Não é uma escolha fácil - nenhuma decisão importante quase nunca o é.  Será francamente difícil conciliar as 3 vertentes numa única orientação profissional se todas forem demasiado distantes umas das outras, e aqui o melhor será engolir o sapo e mentalizar-se que uma delas terá que ceder. Para simplificar, pense no seguinte: o que considera mais importante para o seu futuro - a) Ser bom naquilo que faz; b) Ter um estilo de vida francamente confortável; c) Gostar daquilo que faz; Se conseguir pensar numa futura orientação profissional em que possa ser bom naquilo que gosta de fazer e com isso ter um estilo de vida confortável, será a situação ideal. Contudo, no caso de não ser possível conciliar os 3 aspetos, se os organizar hierarquicamente e tentar conciliar os dois primeiros certamente já chegará a um leque de opções muito mais razoável. Experimente e avalie os resultados.

Escolher um curso   - “Estou perdido”


Para os finalistas do ensino secundário que estão “perdidos”, poderão consultar no portal Infocursos do  Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior dados estatísticos relativamente a taxas de desemprego/empregabilidade de cursos e Instituições bem como um vasto conjunto de outros aspetos a ter em conta como médias de ingresso por exemplo, e que poderão servir enquanto linhas orientadoras para escolher um curso superior.  

Pensar o futuro como um lugar cheio de possibilidades deve ser um exercício de criatividade. Para o ajudar, aqui fica uma lista de artigos que seguramente lhe serão úteis:

As Novas Profissões Desta Era

O que ter em conta ao escolher o curso universitário

Quanto custa um curso superior em Portugal?

As 10 profissões  com melhores saídas profissionais


Coisas importantes:


  • Ter a mentalidade de que a vida é 10% o que nos acontece e 90% o que fazemos com isso é sempre saudável. Contratempos são a base de qualquer desafio e o que faz a diferença é saber lidar com as adversidades.

  • Há mil e uma razões para mudar de curso, muita gente o faz e se o motivo for porque o curso não correspondeu exatamente às suas expectativas lembre-se que parte de ir para a universidade é saber aquilo que não se quer fazer. Não é tempo a fundo perdido, é auto-conhecimento que não poderia ter adquirido de outra forma. 

  • Hoje em dia a plasticidade entre cursos proporciona margem de manobra para conciliar reorientações de carreira futura. Tenha isto em conta e informe-se junto das respetivas instituições quando escolher um curso superior. 

  • Programas como a IPStartUp Week são excelentes iniciativas que permitem aos estudantes finalistas do ensino secundário fazerem uma prospecção dos cursos superiores do seu interesse. Mantenha-se a par desta e outras iniciativas que certamente o irão ajudar a tomar uma decisão!


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.