text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Os 5 tipos de empreendedorismo - qual o mais indicado para si

      
empreendedorismo
Ser-se empreendedor vai muito mais além de tomar um risco para a organização de um determinado negócio.  |  Fonte: iStock
  1. O que é empreendedorismo?

  2. Os 5 tipos de empreendedorismo

  3. Os 8 tipos de empreendedor

  4. Empreendedorismo empresarial vs. empreendedorismo social

  5. Os melhores sites para o ajudar a tornar-se um empreendedor de sucesso

  6. Empreendedorismo: faturar milhões aos 20 anos

  7. Como ser empreendedor - Pro-tips

O que é o empreendedorismo?


O empreendedorismo começa a nascer através da noção de livre mercado, onde qualquer um está apto para proceder a trocas económicas. Podemos dizer que o empreendedorismo é a capacidade de cada indivíduo para realizar e montar o seu próprio negócio – e ser bem-sucedido dentro deste processo. O espírito empreendedor começa, assim, por ser uma marca do capitalismo e da noção de que os agentes económicos são livres e capacitados. 


No entanto, e partindo de concepções mais modernas da economia e dos nossos tempos, o empreendedor situa-se como aquele que inova dentro de um determinado setor, geralmente, tecnológico. Trazendo desta forma para o público serviços e produtos originais, que poderão gerar ainda mais riqueza sobre si próprios e para aqueles que os utilizam. Esta riqueza, para o empreendedor, poderá ser de índole lucrativa como também social. 


Seguindo o conceito de Robert D. Hisrich, "empreendedorismo é o processo de criar algo diferente e com valor, dedicando tempo e esforço necessários, assumindo os riscos financeiros, psicológicos e sociais correspondentes e recebendo as consequentes recompensas da satisfação econômica e pessoal".

Conheça os 5 diferentes tipos de empreendedorismo


Ser-se empreendedor vai muito mais além de tomar um risco para a organização de um determinado negócio. Muito provavelmente já teve a ideia de seguir um velho sonho, montar o seu próprio negócio, ou simplesmente especializar-se num segmento científico-artístico. Para qualquer uma destas opções existe um denominador comum, que é o ato de empreender.



Segundo o dicionário da Priberam, empreender pode significar: “Ter intenção ou tomar a decisão de realizar uma tarefa, uma acção ou um empreendimento, geralmente difícil / Pôr em execução ou dar início a uma tarefa, uma acção ou um empreendimento.”  Para pôr isto em prática, são necessários um conjunto de valores e características pessoais transversais aos 5 tipos de empreendedor. Vejamos quais são:


Empreendedorismo Comum


Este tipo de empreendedor é aquele que associamos de imediato ao empreendedorismo. Trata-se de um individuo que pretende montar o seu próprio negócio. Provavelmente estudou muito sobre o produto/serviço e o seu impacto num determinado mercado, investiu dinheiro (correndo riscos) e tem uma visão de longo prazo para o retorno do seu investimento. Muitos empreendedores comuns podem tornar-se em exemplo ou modelo de ação para qualquer tipo de empreendimento. O risco que correm é maior, mas também é aquele que poderá gerar maior quantidade de lucro. 


Empreendedorismo Social


empreendedor social é aquele que tem como objetivo o desenvolvimento comunitário, ecológico ou educacional. Este pretende gerir uma ideia de negócio cuja meta é o bem-estar de um conjunto de pessoas – o lucro que advenha desta atividade será sempre para manter o projeto e ser continuamente investido numa dada comunidade. O foco do negócio serão produtos ou serviços que visem a inclusão social, diminuição da escassez económica e combate à desigualdade de certos setores sociais.


Empreendedorismo Corporativo


Para quem já faz parte de uma empresa e está numa posição que lhe permite desenvolver determinado setor e continuar a promover o lucro – então muito provavelmente já está no domínio do empreendedor corporativo. Geralmente estes indivíduos possuem ideias que permitem o crescimento da empresa em que estão a trabalhar. Apesar de a empresa não lhes pertencer, são bastante bem pagos para que continuem a fornecer ideias para o desenvolvimento do negócio.


Empreendedorismo Franqueado ou de Franchising


Para quem deseja fazer um investimento, mas sem, correr demasiados riscos, então existe a possibilidade de compra de uma franquia. Estes são negócios que já possuem uma campanha de marketing própria, assim como um modus operandi similar em todos os estabelecimentos franqueados. São exemplos deste tipo de negócio: cadeias de restauração (Mcdonald’s) ou estabelecimentos de ensino (Wall Street Institute).


Empreendedorismo do Conhecimento


Este é aquele empreendedor que possui formação e capacidade para atuar num determinado nicho. Podendo este estar ligado ao desporto, artes e outros domínios científicos. Por norma, este empreendedor busca a realização pessoal através do seu ofício – e o seu lucro advém da capacidade de dar resposta às suas próprias expectativas ou sentidos estéticos. É exemplo deste tipo de empreendedorismo o escritor que procurou formação na área e que busca continuamente estratégias para melhorar as suas produções – tendo como meta última a possibilidade de ganhar o nobel da literatura.


Conheça 8 tipos de empreendedor:


  • Inovadores: sempre à procura de padrões* e donos de um sentido de liderança nato, a imagem de marca é que tiram notas compulsivamente;


Pro-tip: *esta é uma zona possivelmente muito lucrativa mas muito delicada. Para minimizar os riscos, informe-se sobre a diferença entre Cluster effect e Clustering illusion.

  • Lobos: extremamente focados, percebem a importância do networking, criam as próprias oportunidades e não têm medo de correr riscos;

  • Imitadores: pesquisadores de excelência, têm a capacidade de construir sobre território ocupado;

  • Investigadores: visionários, perfeccionistas, e elevada capacidade de resolução de problemas definem estes empreendedores que acreditam em ideias originais sem nunca relevar a sua viabilidade. O pensamento crítico é quase um traço de personalidade.

  • Ímanes do dinheiro: a família pode ter na Comporta um qualquer número de casas entre 2 e 5, e quando precisam relaxar a norma é ir passar um fim-de-semana a Cabo-Verde para desanuviar. Ótimos relações públicas, têm uma marca pessoal e uma equipa de profissionais com quem podem contar.

  • Prodígios: pense Elon Musk. O segredo destes empreendedores trata-se da sua inteligência, instinto para o negócio, e uma estabilidade emocional acima da média.

  • Flash-peneur: o objetivo destes empreendedores é fazer crescer um negócio o mais rapidamente possível quando vêm uma oportunidade e vendê-lo por uma quantia elevada assim que estabilizar;

  • Rebeldes: os aventureiros que desafiam o status quo da concorrência através da sua tenacidade, trabalho-árduo, e capacidade de questionar a maneira que as coisas sempre foram feitas;

  • Compradores:estes empreendedores têm fundos dinheiro especificamente destinados para investimento.Têm sede de conhecimento, procuram ideias originais, além de terem uma ótima rede de networking e atuarem como guias para novos desafios;

Empreendedorismo Empresarial vs. Empreendedorismo Social


O conceito de empreendedorismo que nos é mais identificável será aquele que pertence ao domínio empresarial. Ou seja, é o tipo de empreendedorismo que se classifica como privado e cujo o objetivo será o desenvolvimento de bens e serviços para satisfazer as necessidades do cliente, expandindo a capacidade de negócio. A medida que gere este empreendedorismo é o precisamente o lucro.


Tendo em vista as evoluções sociais, humanas e tecnológicas que se seguiram, outras noções de empreendedorismo surgiram, nomeadamente o empreendedorismo social. Este tipo de empreendedorismo tem como medida o impacto social. Aqui o empreendedor busca um sentido de coletividade e comunidade, para encontrar respostas a problemas sociais.


Podemos dizer que atualmente as duas definições podem encontrar pontos em que se tocam. Existindo a chamada responsabilidade social e ambiental que muitas empresas têm vindo a adotar e a gerar um lucro de felicidade nas comunidades em que se inserem – e até mesmo com métodos de trabalho que promovem equipas com foco no bem-estar.

Os melhores sites para ajudá-lo a tornar-se num empreendedor de sucesso


As fases iniciais de um projeto são essenciais para a realização de um negócio lucrativo, mas no lançamento é quando o empresário tem menos recursos, o que muitas vezes não lhe permite desenvolver todo o seu potencial. Neste sentido, procurar apoio nos sites vocacionados para o empreendedorismo pode ajudar a ultrapassar muitos dos obstáculos iniciais.


Além disto, ser empresário começa com boas ideias, mas o mais importante é ser capaz de transformar essas ideias em negócios. Esse é o grande impulso do empreendedorismo, trazer uma ideia para a realidade é estabelecer o caminho para alcançar o sucesso. Para tal, o empreendedor necessita de formar uma equipa profissional e rodear-se de outros profissionais que complementem o seu projeto de negócios. Estes sites podem ser a solução para os seus problemas.


Beta-i


Organização criada para dar impulso ao empreendedorismo, e a sua missão passa por ajudar a criar uma verdadeira cultura de inovação. Ajudamos organizações a crescer, ao oferecer serviços de inovação numa óptica 360º, com 6 áreas de actuação principais: Aceleração, Eventos, Consultadoria, Inovação Aberta, Educação e Investimento.


Reconhecida internacionalmente como sendo uma das empresas líderes neste campo, e sendo responsável pelo Lisbon Challenge, um dos aceleradores de startups mais dinâmicos do continente Europeu, desde 2010 já recebemos mais de 5.000 candidaturas para os nossos vários programas, tendo acelerado mais de 850 startups, que levantaram +65M no total. 


Incubadoras de Lisboa


Espaços “coworking”, informações sobre incubadoras, eventos e recursos para o empreendedorismo, fazem deste site, que tem iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa, o espaço certo para o ajudar a começar uma carreira sólida e de sucesso no mundo empresarial.


Movimento Empreendedor - ANJE


Este movimento empreendedor está voltado para a promoção do empreendedorismo em Portugal. A associação promove uma ampla gama de projetos destinados a estimular, monitorar e apoiar a criação de empresas, assim como estimular a transferência de conhecimento, identificar novas ideias empresariais, apoiar a criação de projetos empresariais, ajudar os empresários a fazer crescer as suas startups, monitorizar o seu desenvolvimento e transformar esse sucesso em inspiração para que os empreendedores vençam. 


Plataforma Womenwinwin


Dedicada a todas as mulheres empreendedoras em Portugal, a Womenwinwin é uma plataforma empenhada na evolução e dinamização de negócios, onde se pode ter acesso a “mentoring”, dar a conhecer o seu tipo de startup, aumentar e diversificar a sua rede de contatos, trabalhar em ambiente “networking”, trocas de produtos e serviços, entre tantas outras ferramentas úteis à mulher de negócios do Portugal de hoje. Outra das grandes vantagens é o registo ser gratuito.


Portugal Ventures


A Portugal Ventures é uma operadora de capital de risco público, criada em 2012, que investe em novos projetos e startups em setores tão diversos como o turismo, a tecnologia e a ciência da vida.


Liftoff - Gabinete do Empreendedor


O LIFTOFF - Gabinete do Empreendedor da Associação Académica da Universidade do Minho tem como objetivo contribuir para a criação de uma cultura científica e empreendedora, a partir da comunidade académica. No site, os aspirantes a empreendedores encontram informação sobre cursos e eventos, entre outras iniciativas, sobretudo na região norte de Portugal, com destaque para o Porto e Minho.

Para considerar


  • Sabia que 39% dos jovens não se atrevem a empreender por medo do fracasso? Ter uma mentalidade realista e não hipotecar a casa e o carro evitando comprometer os próximos 10 anos da sua vida é uma coisa. 


  • Outra coisa, é saber  que existem maneiras de financiar aquilo que, pela sua natureza, ao princípio será sempre um risco, e não arriscar despender tempo e esforço por nem sequer querer pensar na possibilidade de falhar. Isso é uma mentalidade que não lhe vai permitir evoluir como poderia, e deve ser contrariada. 

Casos de êxito: 5 empreendedores que triunfaram aos 20 anos


São jovens empreendedores com 20 anos ou menos donos de empresas que faturam milhões de euros por ano. 


Existem jovens que aos 20 anos já conseguiram ter uma ideia inovadora que mudou as suas vidas para sempre. Se tens uma ideia de negócio e acreditas nela, não desistas. Foi assim que alguns jovens triunfaram e ficaram milionários. Não se trata apenas de uma questão de sorte, mas também de esforço, constância e trabalho duro. Muitos jovens que começam a sua própria startup atuam no segmento das novas tecnologias, onde as histórias de sucesso são muitas e as barreiras são menos do que se poderia pensar.

Inspira-te em 5 histórias de jovens que tornaram os sonhos realidade


Jason Marmon: "Tinder para a procura de apartamentos"


Jason Marmon tinha apenas 17 anos quando cofundou a startup HomeSwipe com Michael Lisovetsky, 22 anos, e Dean Soukeras, 43 anos. Em 2014, lançaram uma app com o mesmo nome e descreveram-na como um “Tinder para a procura de apartamentos”, na medida em que o processo é tão simples que basta ao utilizador deslizar entre as várias opções e encontrar a que mais lhe agrada.


Em 15 dias a aplicação estava pronta e o projeto impressionou Tim Draper, o investidor norte-americano. Os empreendedores conseguiram um investimento inicial de 500 mil dólares. O jovem Jason Marmon tinha aulas de manhã e depois trabalhava até tarde, dormia pouco e recomeçava a mesma rotina todos os dias. Atualmente está totalmente dedicado à empresa que ajudou a criar.


George Burgess: agregador de conteúdos


Rever as matérias para os exames pode ser complicado e foi perante este obstáculo que George Burgess, ao procurar testar os seus conhecimentos de geografia utilizando o telemóvel, se apercebeu que a oferta do mercado era diminuta.  


Com apenas 17 anos decidiu criar uma aplicação para solucionar o problema e como não tinha conhecimentos de programação contratou um freelancer e pediu ajuda a um professor da sua escola para criar os conteúdos.


Dois meses depois a Gojimo, aplicação de resumos de geografia, já estava disponível na App Store, da Apple. Devido ao sucesso da sua ideia, o jovem replicou o processo e criou aplicações similares para outras disciplinas. Aos 21 anos, este empreendedor lançou uma plataforma online com o mesmo nome. Recentemente, a empresa revelou que fechou um contrato de um milhão de dólares com a Index Ventures, vocacionada para os investimentos em empresas de tecnologia de informação.


Nick D’Aloisio: a grande aposta da Yahoo!


Com apenas 12 anos, Nick D’Aloisio começou a programar e a desenvolver a sua primeira aplicação para smartphone. O empreendedor impulsionou três anos depois um algoritmo para agregar conteúdos e lançou uma aplicação chamada Trimit.


Pouco tempo depois chamou a atenção de Li Kashing, um investidor de Hong-Kong, que investiu 300 mil dólares no conceito. Com este reforço financeiro, o jovem começou a trabalhar numa aplicação agregadora de notícias. No ano de 2012, quando foi lançada a aplicação recebeu destaque por parte da Apple o que levou a que tivesse mais de 150 mil downloads na primeira semana e cerca de um milhão nos primeiros seis meses seguintes. A app acabou por ser comprada no ano seguinte pela Yahoo! por 30 milhões de dólares.


Anna Gurguí, fundadora de Bookish


Apaixonada pelos livros deixou o curso de Direito para se licenciar em estudos literários, acabando por trabalhar na área livreira. Numa feira do setor, Anna Gurguí deu conta que havia demasiadas obras e que para os leitores era difícil encontrar um que realmente se identifique com eles. Assim, fundou a Bookish, uma subscrição literária personalizada em que a cada mês se recebe um livro. Anna assegura que “é preferível dar um passo atrás, que às vezes supõe um sacrifício para depois avançar o triplo mais”.


Ben Kaufman: acessórios para iPod


Ben Kaufman foi nomeado, em 2007, como o melhor empreendedor do ano com menos de 30 anos pela revista norte-americana Inc. Na época, ele tinha 20 anos e tinha criado a Mophie, uma empresa que produzia acessórios para iPod. A partir daí, ele descobriu a sua paixão de empreender. Em 2009, ele criou o site de crowndsourcin Quirky e o sucesso tem sido enorme.

Como ser um empreendedor de sucesso:


Primeira etapa - Direção


  • Perceba que tipo de empreendedor é


  • Perceba que tipo de empreendedorismo se coaduna melhor com as suas características intrínsecas e objetivos


  • Defina um prazo para concuir esta primeira etapa e definir uma zona-comum


Segunda etapa - Ideia 


  • Realize uma pesquisa compreensiva sobre a área concreta que lhe interessa


  • Caso chegue à conclusão que vale a pena avançar com a sua ideia  para a frente e torná-la num projeto, invista tempo em dar forma às suas ideias antes de embarcar na procura de investidores. 


            Pro-tip: Leia também o artigo 10 ótimas razões para apostar no desenvolvimento sustentável.





Terceira etapa - Prospeção de mercado


  • Faça uma seleção dos fundos públicos e privados a que lhe interessa concorrer

  • Organize um calendário com as datas de entrega de propostas

  • Certifique-se que a sua ideia não pode ser plagiada caso se trate de uma inovação tecnológica ou um projeto artístico (informe-se sobre patentes e direitos de autor). 


  • Agora, é só arregaçar as mangas e atirar-se ao trabalho. Boa sorte!


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.