text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Projeto do Politécnico de Viana selecionado pela OCDE

      
<p><strong>Considerado um dos vinte projetos mais inspiradores, de entre mais de uma centena de propostas,</strong> “Entrepreneurship <br/>Education for children from 3 to 12 years old: Dreaming and Doing”, desenvolvido pela <strong><a href=https://www.ese.ipvc.pt/>Escola Superior de Educação do </a></strong><br/><strong><a href=https://www.ese.ipvc.pt/>Instituto Politécnico de Viana do Castelo [ESE-IPVC]</a></strong>, em parceria com a <strong><a href=https://www.cim-altominho.pt/>CIM Alto Minho </a></strong>e a<a href=https://www.grupo-nabeiro.pt/><strong> Associação Coração Delta</strong>,</a> <br/>através do <strong><a href=https://www.cefopna.edu.pt/revista/revista_05/es_02_05_mp.htm>Centro Educativo Alice Nabeiro (CEAN)</a></strong>, foi o único projecto português a ser selecionado pela OCDE - Organização <br/>para a Cooperação e Desenvolvimento Económico - no âmbito do Entrepreneurship 360, a par de outros exemplos <br/>internacionais de boas práticas, oriundos de países como a Alemanha, Grécia, Itália, Inglaterra, Finlândia, entre outros. <br/><br/><strong>Lina Fonseca, docente da ESE-IPVC e responsável pelo projeto de “Empreendedorismo para crianças dos 3 aos 12 anos”, </strong><strong>depois de conhecidos estes resultados, considera que “há apostas que vale a pena fazer. Há caminhos que vale a pena </strong><strong>percorrer”.</strong><br/><br/>Já a Vice-Presidente do IPVC, Florbela Correia, assegura que “quando o trabalho desenvolvido tem qualidade, mais tarde ou <br/>cedo, é reconhecido. E este é um projeto em que verdadeiramente acredito, pela sua utilidade/mais-valia e que está <br/>entregue em muito boas e empenhadas “mãos”” sublinha a propósito do projeto e dos ecos que está a originar a nível <br/>europeu. <br/><br/><strong>O repto foi lançado pela OCDE em abril passado para recolher e identificar um grande número de boas práticas no que </strong><br/><strong>respeita a “fomentar a mentalidade empreendedora nas escolas básicas, secundárias e ensino de formação profissional”. </strong><br/><br/>Os autores de cada proposta estão agora a ser convidados a detalhar os seus projetos para serem apresentados como <br/>“estudos de caso”, em Potsdam, Alemanha, entre 3 a 6 de novembro próximo, onde se realizará um seminário <br/>internacional. <br/><br/><strong>Recorde-se que o IPVC integra a rede regional de apoio ao empreendedorismo do Alto Minho</strong> e uma das vertentes da rede é a educação para o empreendedorismo, onde se integra o projeto que visa o desenvolvimento das capacidades <br/>empreendedoras das crianças de escolas dos vários níveis de ensino, desde Educação Pré-escolar ao Ensino Superior. <br/><br/> “Os professores constituem um meio privilegiado de chegar às crianças, e é por essa razão que o projeto se desenvolve na <br/>formação inicial e contínua de professores onde se pretende a criação de ambientes de aprendizagem desafiadores e <br/>exigentes, que promovam, entre outros aspetos, o espírito de iniciativa, a capacidade de gerar e aplicar ideias, a <br/>criatividade, a autoconfiança, o espírito crítico e a persistência, e concretizam-se os sonhos de cada uma e de todas as <br/>crianças, explicou Lina Fonseca. A responsável salientou ainda que no projeto é usado, como documento base, o manual <br/>“Ter ideias para mudar o mundo” do CEAN que foca diferentes áreas do conhecimento empreendedor. <br/><br/>Os resultados gerais do concurso podem ser consultados <strong><a href=https://www.oecd.org/site/entrepreneurship360/home/>Aquí</a></strong></p>
Fonte: Universia

Considerado um dos vinte projetos mais inspiradores, de entre mais de uma centena de propostas, “Entrepreneurship
Education for children from 3 to 12 years old: Dreaming and Doing”, desenvolvido pela Escola Superior de Educação do
Instituto Politécnico de Viana do Castelo [ESE-IPVC], em parceria com a CIM Alto Minho e a Associação Coração Delta, 
através do Centro Educativo Alice Nabeiro (CEAN), foi o único projecto português a ser selecionado pela OCDE - Organização
para a Cooperação e Desenvolvimento Económico - no âmbito do Entrepreneurship 360, a par de outros exemplos
internacionais de boas práticas, oriundos de países como a Alemanha, Grécia, Itália, Inglaterra, Finlândia, entre outros.

Lina Fonseca, docente da ESE-IPVC e responsável pelo projeto de “Empreendedorismo para crianças dos 3 aos 12 anos”, depois de conhecidos estes resultados, considera que “há apostas que vale a pena fazer. Há caminhos que vale a pena percorrer”.

Já a Vice-Presidente do IPVC, Florbela Correia, assegura que “quando o trabalho desenvolvido tem qualidade, mais tarde ou
cedo, é reconhecido. E este é um projeto em que verdadeiramente acredito, pela sua utilidade/mais-valia e que está
entregue em muito boas e empenhadas “mãos”” sublinha a propósito do projeto e dos ecos que está a originar a nível
europeu.

O repto foi lançado pela OCDE em abril passado para recolher e identificar um grande número de boas práticas no que
respeita a “fomentar a mentalidade empreendedora nas escolas básicas, secundárias e ensino de formação profissional”.

Os autores de cada proposta estão agora a ser convidados a detalhar os seus projetos para serem apresentados como
“estudos de caso”, em Potsdam, Alemanha, entre 3 a 6 de novembro próximo, onde se realizará um seminário
internacional.

Recorde-se que o IPVC integra a rede regional de apoio ao empreendedorismo do Alto Minho e uma das vertentes da rede é a educação para o empreendedorismo, onde se integra o projeto que visa o desenvolvimento das capacidades
empreendedoras das crianças de escolas dos vários níveis de ensino, desde Educação Pré-escolar ao Ensino Superior.

“Os professores constituem um meio privilegiado de chegar às crianças, e é por essa razão que o projeto se desenvolve na
formação inicial e contínua de professores onde se pretende a criação de ambientes de aprendizagem desafiadores e
exigentes, que promovam, entre outros aspetos, o espírito de iniciativa, a capacidade de gerar e aplicar ideias, a
criatividade, a autoconfiança, o espírito crítico e a persistência, e concretizam-se os sonhos de cada uma e de todas as
crianças", explicou Lina Fonseca. A responsável salientou ainda que no projeto é usado, como documento base, o manual
“Ter ideias para mudar o mundo” do CEAN que foca diferentes áreas do conhecimento empreendedor.

Os resultados gerais do concurso podem ser consultados Aquí


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.