text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

A Universidade será o motor da mudança social

      
FOTO: Activa Consultors & Partners
FOTO: Activa Consultors & Partners

As instituições de educação superior têm que mudar o atual paradigma que enfatiza o individualismo, a competitividade e os benefícios a curto prazo, por um modelo que ponha o foco na coletividade e na construção de um futuro sustentável a longo prazo. Por isso, devem ser ampliados os vínculos com a sociedade, além das empresas, reforçando relações com as associações cívicas e movimentos sociais. Trata-se de aplicar o conceito de Community University Engagement (CUE) a todos os âmbitos universitários. A transformação deverá efetuar-se tanto na estrutura, na liderança, na tomada de decisões e na gestão universitária, como nos planos de estudo, na aprendizagem, na investigação e na participação.

Esta é a principal conclusão do relatório Higher Education in the World Report 5: Knowledge, Engagement and Higher Education: Contributing to Social Change, que foi apresentado ontem em Barcelona, e elaborado pela Global University Network for Innovation (GUNi); uma rede internacional criada em 1999 pela UNESCO, a Universidade das Nações Unidas e a Universitat Politècnica de Catalunya para contribuir, com os seus relatórios para a renovação das visões, missões e políticas de educação superior, a partir de uma perspetiva de serviço público e de responsabilidade social. Atualmente a GUNi integra 209 instituições, centros de investigação e redes relacionadas com o ensino superior, assim como cátedras UNESCO num total de 78 países e, desde o mês de maio deste ano, que a Associação Catalana d’Universitats Públiques (ACUP)alberga a presidência e o secretariado deste organismo.


O estudo faz um apelo às instituições de ensino superior para que não formem apenas profissionais, mas cidadãos com uma menta aberta, espírito crítico, consciência ética e compromisso cívico através de métodos orientados para a resolução de problemas reais e em tempo real. Quanto à investigação, tenta centrar os esforços nos grandes temas que preocupam a cidadania como, por exemplo, a segurança alimentar, a mudança climática, a gestão da água, o diálogo intercultural, as energias renováveis e a saúde pública. O objetivo é avançar até se conseguir uma sociedade mais justa, equitativa e sustentável em todo o planeta durante as próximas décadas. Para isso, o relatório apresenta experiências e ideais para que o ensino superior possa exercer a sua responsabilidade social para com os cidadãos e para com as sociedades locais e globais.  

Neste sentido, convém aproveitar o conhecimento que se gera fora do âmbito universitário, desde grupos de cidadãos, associações, ONGs, até ao conhecimento oriundo de centros de estudos independentes e de institutos de investigação sem fins lucrativos, que nas últimas décadas lideraram os debates da transformação social. O relatório reclama uma maior coordenação entre os governos, a sociedade civil, as instituições educativas e o setor privado para avançar na construção de um mundo melhor. Uma das ferramentas principais seria aproveitar o potencial das atuais redes nacionais, regionais, setoriais e globais para incrementar colaborações e ações conjuntas.  

O 5º relatório da GUNI é fruto da investigação de três anos de inquéritos, seminários académicos e uma conferência internacional realizada no mês de maio deste ano, para o qual contribuíram 73 autores de 34 países. Apresenta uma análise global e por regiões (África, Ásia e Pacífico, América Latina e Caribe, Estados Árabes, Europa e Estados Unidos da América e Canadá) das principais tendências atuais, desafios e visões de futuro sobre o vínculo universidade-sociedade e propõe medidas para avançar nesta cooperação. O relatório, estruturado em seis secções, aposta em colocar o conhecimento ao serviço da mudança e da inovação social.

O relatório Higher Education in the World Report 5: Knowledge, Engagement and Higher Education: Contributing to Social Change foi apresentado no âmbito de uma jornada que foi aberta pelo presidente da GUNi e da ACUP, o reitor da Universitat de Lleida, Roberto Fernández; o alcaide de Barcelona, Xavier Trias; o secretário de Universidades e Investigação da Generalitat de Catalunya, Antoni Castellà; o secretário geral de Universidades de Ministerio de Educación Cultura y Depaorte, Federico Morán; e o Administrador Delegado da Universia, Jaume Pagés.

O encontro realizou-se no recinto modernista de Sant Pau de Barcelona e contou com a participação, entre outros, de editores do relatório, Budd Hall (Canadá) e Rajesh Tandon (Índia).  Este será um dos 30 acontecimentos que se vão realizar este ano em mais de 20 países. Os relatórios anteriores do GUNI sobre a educação superior no mundo abordaram o financiamento das universidades, as acreditações de qualidade, os novos desafios para o desenvolvimento humano e social e o compromisso com a sustentabilidade.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.